Consumo de Açúcar. Brasileiro Tenta Reduzir, mas Precisa de Indicações

Consumo do Açúcar: qual a relação do brasileiro com o ingrediente

Pesquisa revela relação do brasileiro com o consumo do açúcar


Na busca pelo corpo e peso ideal, os brasileiros veem no açúcar um dos impedimentos para atingir seus objetivos. Além disso, o consumo excessivo, aliado com outras práticas pouco saudáveis, pode desencadear doenças como diabetes, obesidade, problemas cardíacos, entre outros.

Falta de clareza dificulta a identificação do açúcar

 

No Brasil, a indústria alimentícia não tem a obrigatoriedade de reportar o açúcar nos produtos. Por conta disso, as informações nutricionais presentes nas embalagens dos alimentos costumam apresentar termos como: sacarose, maltodextrina, glucose ou xarope de milho (basicamente açúcar disfarçado). Contudo, a maioria dos consumidores não sabe dessa informação, o que dificulta, e muito, a identificação. 


 

Por que açúcar faz mal? 

 

O consumo excessivo do açúcar pode trazer uma série de problemas como doenças de difícil controle: obesidade, cardiopatias, diabetes, hipertensão, entre outras.  Além disso,  dificulta o processo de emagrecimento, por conter um alto valor calórico.

 

Como evitar o consumo de açúcar em excesso

 

Um dos maiores vilões é o açúcar refinado, o chamado açúcar de mesa. Após todo o seu processo de produção ele perde qualquer benefício que poderia conceder ao corpo humano. Contudo, os açúcares mais escuros, como mascavo e demerara, podem ser bons substitutos. Claro, que o consumo deve ser sempre moderado, mas só esta troca já ajuda na busca pela saúde e bem-estar.

 

"Com o apoio do da família, amigos e outros Associados WW a gente tem força e coragem para renunciar às tentações — no meu caso, os doces! Agora sei bem como aproveitar o momento sem sair do controle."

Simone

 

Pesquisa: qual a relação do brasileiro com o açúcar

 

Pesquisa exclusiva do WW Vigilantes do Peso mostra que, apesar de 85% das pessoas saberem a quantidade de açúcar recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 37% consomem porção diária acima do indicado. Outro dado importante é que a busca pela felicidade e bem estar é fator que leva o brasileiro a consumir mais doces e alimentos com sabor convidativo.

 

Percepção do açúcar nos alimentos

 

Apesar de ligarmos a existência do açúcar a doces, bolos e refrigerantes, outros alimentos também o têm em sua composição e é aí que mora o perigo. Por exemplo, de acordo com a pesquisa, dos 77% dos respondentes que consomem arroz, feijão e grãos, apenas 28% possuem a percepção do açúcar nesses alimentos. 

Informações nutricionais

 

Apenas 9% dos respondentes procuram pelas informações nutricionais nas embalagens, 32% fazem isso às vezes e 21% nunca buscam por elas. Mas, quem lê, quer saber apenas do sódio ou do valor energético (calorias) dos produtos. O açúcar vem em 3º lugar. 

 

O açúcar como vilão de doenças perigosas

 

De acordo com a pesquisa, os brasileiros têm conhecimento de algumas doenças que o consumo excessivo do açúcar pode ajudar a desencadear. A mais temida é o diabetes, com 91% dos respondentes afirmando que possuem o receio deste mal. Já a obesidade e cáries nos dentes figuram entre doenças que preocupam o brasileiro. Outro ponto importante é o colesterol, fator de risco para outras doenças,  que também está entre os receios apontados pelos respondentes.

 

Ansiedade aumenta o consumo de alimentos ricos em açúcar 

 

Alimentos com maior quantidade de açúcar são, geralmente, aqueles mais fáceis de consumir. Portanto, a correria do dia a dia e fatores emocionais podem aumentar essa ingestão. Dos brasileiros entrevistados, 69% têm uma alimentação “pior” quando estão com pressa e 57% consomem mais açúcar quanto estão ansiosos. 

 

Pesquisa fala também sobre hábitos alimentares e busca pela qualidade de vida 

Além dos fatores importantes sobre a ingestão do açúcar no dia a dia do brasileiro, a pesquisa também quis entender como estão os hábitos alimentares e a busca pela qualidade de vida. 

 

Quem foram os entrevistados

Durante o período da pesquisa, o WW Vigilantes do Peso conversou com 1.265 pessoas. Destes 94% são mulheres e 6% homens. Os respondentes têm acima de 18 anos, mas neste montante destaca-se a fase dos 18 aos 24 anos, que representou 26% das respostas. 

 

Novo Programa: 'do meu jeito'

O WW Vigilantes do peso lançou recentemente seu novo programa, 'do meu jeito'. Com ele você vai poder criar uma rotina personalizada para perder peso e conquistar hábitos saudáveis. O 'do meu jeito' considera detalhes sobre estilo de vida e hábitos alimentares de cada pessoa. 

A primeira ferramenta que estima a quantidade de açúcar nos alimentos industrializados do Brasil

 

Não é comum as pessoas lerem os rótulos das embalagens em busca de informações nutricionais. Além disso, a Legislação Brasileira não obriga que exista uma denominação para o açúcar. Este fato dificulta a identificação, porque ele pode ser definido como sacarose, xarope de cana, entre outros termos.

 

Contudo, entender a quantidade de açúcar ingerida é essencial para quem está em busca de hábitos saudáveis e uma alimentação balanceada. Pensando nisto, o WW Vigilantes do Peso criou uma ferramenta que estima a quantidade de açúcar nos alimentos. Ela está disponível no app WW