História de Sucesso
Histórias de sucesso

Rotina e motivação

Por Carla

Nome: Carla Dumas
Idade: 49 anos
Altura: 1,65 m
Pesava: 91 kg
Eliminou: 28,5 kg
Peso atual: 62,5 kg

Quando aderiu ao Vigilantes do Peso: Agosto 2015
Qual era a sua meta de peso: 69 kg
Quando atingiu a sua meta de peso: Março 2018

Autoestima garantida

Retornei para o Vigilantes do Peso – havia abandonado o programa por causa dos estudos - com 91kg e muito infeliz com minha aparência. Tinha dificuldades para comprar roupas novas e vergonha de entrar nas lojas. Mas, quando me vi nas fotos da festa de 15 anos da minha sobrinha, resolvi tomar uma atitude.

Já na primeira reunião, me senti voltando para casa. Logo comecei a emagrecer, as medidas diminuíram, as roupas ficaram largas e minha autoestima melhorou. Mas, aos 76kg, fiquei no platô. E foram oito meses até sair dele!

Rotina e motivação

Apesar de todo cansaço e frustração, em nenhum momento pensei em desistir. Eu já sabia que era só um momento ruim e que, se eu não estava satisfeita assim, sair do programa só faria piorar. Aguentei firme e continuei indo às minhas reuniões. Minha Orientadora, a Chris, ajudou muito com toda a sua empolgação com o novo App do VP. Por causa disso, resolvi apostar na nova ferramenta, o que me deu o ‘gás’ que eu precisava para voltar a emagrecer.

O Connect mudou tudo para mim. Lá encontrei o apoio e a troca que temos nas reuniões, mas 24h por dia, 7 dias na semana! Acompanhando o dia-a-dia dos meus ‘Connect Friends’, fui levada a algumas reflexões que me fizeram rever comportamentos ruins.

Alimentação e monitoramento

Minha alimentação estava muito monótona, por isso passei a variar e experimentar novos ingredientes. Além disso, eu não era muito precisa nas medidas! Resolvi comprar uma balança e passei a monitorar cada porção do jeito certo.

Outra coisa que aprendi foi a finalmente viver com um planejamento. Assim, poucas vezes tenho surpresas desagradáveis. Antes, eu achava que monitorar “era chato”. Hoje, entendo a importância de não deixar de fora nem as “jacadas”. É desse jeito que sei exatamente como traçar estratégias de controle de danos e como retomar o programa sabendo exatamente onde escorreguei.

Não é o fim

Consegui criar novos hábitos muito importantes, para a vida toda. Reduzi muito a quantidade de frituras. Fast food e bebida alcoólica? A frequência caiu de forma natural, sem sofrimento. E, hoje, faço exercícios de segunda à sexta, faça chuva ou sol - quando não vou à academia, faço exercícios assistindo vídeos na internet.

Parece pouco, mas abotoar minhas sandálias sem precisar fazer malabarismos já foi uma grande vitória (e uma das minhas primeiras). O caminho da saúde e do emagrecimento não é florido ou pavimentado, mas com altos e baixos. Para vencer, precisamos nos conhecer, aprender a nos perdoar e dar a volta por cima após cada tropeço.

Sei que este não é o fim do processo. Chegar à meta na verdade é o início de uma nova etapa, que vai durar o resto da minha vida: a manutenção. Mesmo assim, a sensação é a de ter vencido uma grande maratona. Se eu fechar os olhos, consigo me ver de braços abertos cruzando a linha de chegada e arrebentando a fita como uma grande campeã!

*Fotos: arquivo pessoal | divulgação (parceria Walter's Coiffeur)