Dicas E Artigos

Sociedade e Bem-Estar: Como se Livrar dos Impactos no Dia a Dia

Por que a realização pessoal e a busca pela felicidade têm atraído o interesse de tantas pessoas? Basta acessar as redes sociais para nos depararmos com uma série de conselhos e receitas de como ser feliz.

 

Não é à toa que a relação sociedade e bem-estar tem sido pauta de estudos de profissionais das mais diversas áreas.

Afinal, vivemos em um cenário em que ser feliz nos é posto como obrigação.

A realização pessoal é uma meta de vida ou uma estratégia para deixar a rotina mais tranquila?

Para te ajudar a encontrar as respostas, selecionamos informações importantes sobre como lidar com tantas imposições a respeito do que é ser feliz.

 

Felicidade não é um fim, mas um meio

 

A felicidade não é um produto a ser conquistado depois de meses de trabalho e economias.

Tampouco ela deve ser entendida como algo inatingível, ou, como algumas pessoas afirmam, alguma coisa passageira.

Ao contrário disso, não existe um caminho que nos leva a momentos ou coisas que nos deixam felizes.

A verdade é que devemos olhar para a rota que temos percorrido e encontrar a felicidade em cada passo dado. Pequenas vitórias devem ser sempre celebradas. 

Isso significa que ser feliz não é sentir prazer, gratidão e disposição o tempo todo.

Esse tipo de expectativa, ao invés de ajudar, tende a gerar ainda mais frustração, principalmente para quem acredita que só é possível encontrar realização a longo prazo.

Claro que os objetivos, sonhos e metas dão sentido à vida e são os responsáveis por nos movimentar.

Mas isso não quer dizer que não é possível aproveitar cada etapa da jornada e encontrar realização em situações simples do dia a dia.

 

Ser feliz não é obrigação

 

Os seres humanos são feitos de emoções, tanto positivas quanto negativas.

Ser feliz é dar espaço para todos os sentimentos e encontrar sentido no medo, angústia, ansiedade, tristeza, preguiça, entre uma série de sensações.

Provavelmente, você já percebeu em suas redes sociais que a maioria das pessoas com quem interage posta fotos e legendas que dão a entender que elas estão felizes o tempo todo.

Esse bombardeio de conteúdos repletos de coisas boas é um dos sintomas da “sociedade do bem-estar”, que nos faz acreditar que o prazer está no produto indicado pelo digital influencer da vez, naquela viagem ou no corpo perfeito da celebridade fitness.

O que quase ninguém compartilha é que a vida real, essa que todo mundo tem, também tem momentos e situações difíceis.

Não se obrigue a alimentar uma cobrança exagerada de que precisamos estar bem o tempo todo.

Isso está longe de ser real e pode criar problemas de autoestima e autoaceitação.

 

Querer ser feliz é uma decisão diária

 

A felicidade é um estado que vamos construindo dia após dia.  Cada um desenvolve essa condição dentro das possibilidades, sem comparações ou cobranças.

Você é capaz de encontrar a energia e a motivação de que precisa para aproveitar melhor a vida.

Como já dissemos, não existe uma receita ou manual que deve ser seguido para querer ser feliz.

No entanto, há algumas estratégias que fazem toda diferença nesse processo de autodescoberta e autoaceitação. Confira quais são:

  • Cuidar de si:  comer de forma saudável, preparar as próprias refeições, praticar atividade física e descansar são condições essenciais para a felicidade.
  • Manter relações saudáveis: afastar-se de quem te faz se sentir mal não é egoísmo, é autocuidado. Procure cultivar relações com quem te aceita do jeito que você é, te apoia e te aconselha quando as coisas fogem do seu controle.
  • Fazer coisas prazerosas:  procure não colocar as atividades que você gosta de fazer em último lugar na sua agenda diária. O segredo é sentir prazer e realização nas pequenas coisas, como assistir a série favorita, desenhar, ler ou simplesmente não fazer nada.
  • Agradecer: ser grato a si mesmo por se permitir ser imperfeito, errar e acertar traz muitas coisas positivas e nos ensina a compreender que a felicidade é o caminho, não o destino.
  • Valorizar seus pontos fortes: todos nós temos talentos, habilidades e valores que nos fazem únicos. Quando você descobre seus pontos fortes, é capaz de lidar melhor com aqueles dias de tensão.
  • Superar as adversidades: imprevistos acontecem o tempo todo. Perder o emprego, terminar um relacionamento, não cumprir as atividades planejadas faz parte da vida. O importante é não se cobrar quando isso acontecer.

Esses e uma série de outros aprendizados vão te ajudar a se movimentar melhor e a enxergar com mais clareza os seus propósitos.

Lembre-se de que todos nós temos forças que emergem da nossa personalidade.

 

Não ter controle sobre tudo é positivo

 

Muitos de nós passamos anos presos à estabilidade da nossa zona de conforto.

Afinal, nela, somos capazes de manter tudo sob controle, já que cada situação é previsível e garantida.

No entanto, algumas coisas acontecem no meio da jornada e fazem toda essa área segura desmoronar.

É a sua reação diante dos acontecimentos que vai te fazer descobrir os seus pontos fortes.

Você perceberá que é mais resiliente, esperançoso, proativo e criativo do que acreditava.

Quanto mais esses elementos forem explorados, maiores serão as chances de aplicá-los a outras áreas de sua vida.

 

Os três componentes do bem-estar: sentir, pensar, agir

 

A emoção, o pensamento e a ação são os elementos que nos ajudam a compreender que a felicidade pode ser vivenciada em todo momento.  Toda atitude parte de uma emoção.

Eles podem ser lapidados por uma técnica milenar: a meditação. Ela consiste em uma série de atividades realizadas para treinar a mente com o objetivo de reduzir o estresse e promover uma conexão consigo mesmo.

Com  alguns minutos de prática meditativa por dia você não apenas diminui o mal-estar e a tensão acumulados, como também tem mais clareza sobre seus hábitos e comportamentos.

Para praticar, considere as dicas a seguir:

  • Ambiente: escolha um horário tranquilo e um ambiente confortável. O ideal é estar em um espaço silencioso e sem interrupções.
  • Posição: a posição de lótus é a clássica para meditar. Caso você não se sinta acomodado ao sentar-se com as pernas cruzadas, pode deitar ou sentar-se em uma cadeira, por exemplo. O importante é que os músculos estejam relaxados.
  • Atenção plena: evite qualquer fonte de distração. Desligue o celular, a televisão e qualquer outro dispositivo que possa atrapalhar. Foque nas sensações do seu corpo e na sua respiração.

Cada pessoa tem seu próprio tempo para atingir o estado ideal de relaxamento. Não existe certo ou errado, o importante é se permitir.

Se você nunca meditou antes, fazer uma prática guiada com a ajuda de aplicativos pode ser um bom caminho.

Conteúdo relacionado: O exercício de meditação de 3 minutos que qualquer um pode fazer

Com o passar do tempo, você perceberá que seus pensamentos ficarão mais claros e os problemas que antes eram grandes e complexos tendem a ficar mais simples. É fundamental persistir e ser paciente com você mesmo.

Lembre-se de que esse conceito de “sociedade do bem-estar” só faz sentido quando nos comprometemos a cuidar do nosso corpo e da nossa mente com mais carinho. Respeite o seu processo.