Dicas E Artigos

Exercício em excesso faz mal?

Sabemos que a falta de exercícios pode prejudicar a saúde, mas o excesso também pode fazer mal? Como equilibrar? Continue lendo e descubra.

O mundo está cada vez mais sedentário. A cada quatro adultos, um não pode ser considerado praticante de atividade física regular. Entre os jovens o quadro também desperta um alerta: 80% dos adolescentes são considerados inativos. Os dados são da Organização Mundial da Saúde e refletem um contexto preocupante, afinal o sedentarismo é a causa de diversas doenças e males do nosso século. 

O Brasil está entre os cinco países mais sedentários do mundo, ocupando o primeiro lugar da lista na América Latina. No total, o mundo conta com aproximadamente 1,4 bilhão de pessoas sedentárias que, por este motivo, acabam sendo incluídas no grupo que mais corre o risco de adquirir doenças como diabetes tipo 2, enfermidades cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

O tempo mínimo de atividades físicas recomendado pela OMS deve ser de, pelo menos, 150 minutos ao longo da semana (para práticas moderadas), ou 75 minutos semanais (para atividades intensas). 

 

Excesso de exercícios: o outro lado da moeda

 

Se, por um lado, o número de sedentários é alto e preocupa as autoridades de saúde pelo mundo, a prática excessiva de atividades físicas - o chamado overtraining - também merece atenção. Quando há uma ansiedade acentuada na busca do corpo ideal, alguns indivíduos acabam desrespeitando o tempo necessário de descanso que o organismo precisa após uma atividade, seja ela uma simples caminhada ou um treino mais intenso na musculação. Com isso, o corpo também sofre consequências. 

Além de causar sobrecarga nas articulações e grupos musculares, o overtraining também pode desencadear cansaço, insônia, perda de apetite, estresse e até mesmo depressão. Um outro risco do treino em excesso é a vigorexia, transtorno que faz com que a pessoa tenha uma visão distorcida sobre si mesma e crie uma obsessão em relação à sua imagem. As pessoas com vigorexia, mesmo que estejam fortes e musculosas, se veem magras e fracas - ao contrário dos anoréxicos, que enxergam a sua imagem maior do que ela é. 

Além de poder agravar outros transtornos de ordem mental, a condição também pode levar a pessoa à insuficiência hepática, renal e a problemas nas veias. A vigorexia deve ser tratada de forma multidisciplinar por médicos, psicólogos e nutricionistas. 

 

O caminho do equilíbrio: exercitar-se com qualidade

 

Tanto a falta quanto o excesso de exercícios são prejudiciais à saúde e podem acarretar problemas diversos. Portanto, o caminho do equilíbrio é o mais adequado. Encontrar uma atividade que tenha a ver com seu estilo de vida, seja musculação, ioga, Pilates ou qualquer outra, é o primeiro passo para se deixar conquistar pelos exercícios. Corpo e mente agradecem!

Para quem não dispõe de tempo ou mesmo de recursos financeiros para frequentar diariamente uma academia, a dica é inserir os movimentos no dia a dia. Atitudes simples podem fazer toda a diferença: trocar o elevador pelas escadas gradativamente, subindo ou descendo um novo lance por semana; descer do ônibus um ou dois pontos antes e seguir até o trabalho caminhando; trocar o transporte motorizado pela bicicleta sempre que possível; alongar-se ao acordar e ao ir para a cama. Se exercitar em casa também é uma boa alternativa, nesse artigo apresentamos alguns exercícios para você começar hoje mesmo em casa

 

Benefícios e vantagens dos exercícios em casa

 

Fazer exercício em casa faz mal? Há alguma contraindicação? A resposta é não, mas com algumas ressalvas importantes. Decidir praticar exercícios em casa é uma opção econômica, prática e que possui facilidade em se encaixar nas mais diversas rotinas. No entanto, é preciso iniciar com calma.  Consultar um médico e um nutricionista é importante para saber o limite do seu corpo no primeiro momento, seguindo corretamente as orientações e utilizando vestimentas e equipamentos adequados. Assim os resultados podem aparecer em poucas semanas. 

 

Entre os benefícios e vantagens estão:

 

  • Economia: os valores gastos em matrícula, mensalidades, transporte ou combustível deixam de sair do bolso com a prática de exercícios em casa. Esse dinheiro pode ser aplicado na aquisição de um bom colchonete, uma bicicleta ergométrica e acessórios e equipamentos que auxiliarão na prática caseira. 
  • Liberdade: nem todo mundo se sente tão à vontade em ambientes coletivos quando o assunto é a prática de exercícios. Por conta disso, muitas pessoas acabam reduzindo as idas à academia até abandoná-la completamente, retornando ao sedentarismo. As atividades praticadas em casa eliminam esse problema. 
  • Flexibilidade: apesar de cada vez mais academias funcionarem até tarde ou mesmo 24 horas seguidas, a questão do horário ainda é um impeditivo para muitas pessoas. Muitas vezes a rotina de trabalho e estudo deixa pouco tempo livre, e pensar em se deslocar para a academia após um exaustivo dia pode ser desgastante. Com os exercícios em casa é possível chegar, se trocar, fazer as atividades e depois partir para o descanso. 

 

Como começar a praticar exercícios em casa?

 

Antes de iniciar os treinos por conta própria, é preciso verificar as condições de saúde. Visite um clínico geral para saber como anda o sistema cardiovascular, as articulações e músculos, e conte a ele sobre a meta de praticar atividades em casa. 

Com as orientações corretas, já é possível começar. 

  • Utilize roupas confortáveis, que permitam a movimentação livre.
  • Exceto em atividades específicas, como ioga, o uso do tênis é recomendado também em casa, de forma a amortecer os impactos.
  • Não tenha pressa. Seu corpo precisa de tempo para assimilar a nova rotina sem que seja sobrecarregado. Procure programas de exercício para iniciantes e só mude de fase depois de algumas semanas treinando frequentemente. 
  • Crie uma rotina. Separe dias específicos e cumpra-os, tornando o hábito mais natural para o corpo e o cérebro. 
  • Evite distrações. Desligue o celular, prefira horários mais tranquilos e ambientes sem interrupções dos outros moradores.
  • Atenção à respiração durante os exercícios. 
  • Alongue-se antes e depois das práticas. 
  • Faça aquecimentos antes de iniciar, evitando lesões musculares e articulares. 
  • Hidrate-se! Tenha sempre uma garrafa de água fresca por perto (neste artigo falamos sobre como beber água com prazer). 

Seja em casa, na academia, na rua ou no parque, exercitar-se sem cometer excessos é fundamental para uma boa saúde. Para potencializar a busca por um estilo de vida mais saudável é importante inserir também na rotina a reeducação alimentar, pois é um conjunto de fatores que contribuem para uma vida mais saudável. 
No programa do Vigilantes do Peso, você aprender a se reeducar comendo o que gosta, além de trocar experiências com pessoas que já passaram pelo mesmo momento que você. Clique aqui conheça agora os planos Digital e Workshops e comece hoje mesmo a busca pela sua melhor versão