Bem-Estar

Hábitos Saudáveis em Isolamento Social: Pesquisa Revela Que Brasileiro Está Preocupado com Alimentação e Bem-Estar

WW Vigilantes do Peso entrevista mais de 2 mil pessoas pelo Brasil

 

Há mais de dois meses em isolamento / distanciamento social, necessário para diminuir os casos de Covid-19 no país, os brasileiros viram suas rotinas mudarem completamente com as novas regras de convivência. Agora, tudo é feito em casa: alimentação, trabalho, entretenimento, exercícios físicos, entre outras atividades. 

Mas, será que os brasileiros estão aproveitando este momento de mudança de comportamento para repensar costumes e melhorar alguns hábitos? O WW Vigilantes do Peso realizou uma pesquisa, a nível nacional, para entender como está a conduta alimentar dos brasileiros, bem como atividades físicas e bem-estar, nesta quarentena. Ao todo, foram 2.289 respostas. 

 

Cenário pré-pandemia

 

Antes de mais, nada, vamos entender como era o nosso cenário antes do isolamento social. Publicada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), em 2018, uma pesquisa revelou que 80% dos brasileiros está em busca de uma alimentação saudável. Além disso, a maior fonte de pesquisa para entender o que é se alimentar de maneira correta ou não mudou - da televisão para internet, com blogs e portais - nos últimos anos. 

Comer bem não é sinônimo de abrir mão do que se gosta. Mas, nem sempre é possível. Happy hours, saídas aos fins de semana e algumas outras ações provocam a desatenção de questões importantes como alimentação, exercícios físicos e bem-estar. Mas, será que estes costumes continuam? 


 

Isolamento social x hábitos alimentares

 

A pesquisa do WW Vigilantes do Peso mostra que 96,7% dos entrevistados estão em isolamento social, sendo que destes, 87,1% há mais de 1 mês. 

Neste cenário, mais de 1.000 pessoas mudaram seus hábitos alimentares durante o período da quarentena e buscam, diariamente, comer de maneira mais saudável e saborosa. O aumento do tempo para cozinhar em casa também ajuda, já que a prática pode ser interpretada como um descanso à mente. 

Ainda sobre manter hábitos saudáveis em casa, 47,5% das pessoas acreditam que a prática é mais fácil, porque há maior controle sobre o que é consumido. Frutas, grãos, cereais, proteínas e massas estão entre os alimentos mais consumidos pelos entrevistados. 

Já com relação às bebidas, água e sucos são os vencedores de consumo, seguidos por chás e café. Refrigerantes e bebidas alcoólicas aparecem, mas com resultados menos significativos. 

 

Atividades físicas em casa

 

Boa parte dos entrevistados (71,5%) afirma que praticava exercícios físicos antes da quarentena e que não mudou sua rotina por conta do isolamento -muito pelo contrário, a frequência até aumentou! Contudo, há uma ressalva a ser feita: entre os que responderam que não praticam atividades, a preguiça é um dos principais fatores de inibição. 

 

Bem-estar com atividades simples 

 

Muitos dos entrevistados (85,2%) têm se preocupado mais com o bem-estar durante o isolamento social. Comer bem, praticar exercícios, dormir bem e meditar está entre as preferências. Foi identificada uma busca constante por melhorias, mesmo diante desta fase de adaptação - que pode não ser das mais fáceis. 

 

Veja a pesquisa completa no infográfico abaixo: