Roncar pode afetar seu emagrecimento?

Especialistas avaliaram se os hábitos noturnos podem influenciar na sua perda de peso.

O excesso de peso aumenta o risco de ronco e apnéia do sono, um distúrbio em que, sem saber, paramos de respirar esporadicamente durante a noite.

Por que roncamos?

Quando vamos dormir os músculos das vias aéreas relaxam naturalmente. Em algumas pessoas, elas relaxam tanto que, quando você respira, ficam muito próximas uma da outra e, conforme o ar passa, as paredes vibram - este é o ruído do ronco. Na apnéia do sono, as vias aéreas podem se fechar completamente.

Quando ganhamos peso, ele acaba “pesando” em toda parte, inclusive na língua. Isso sobrecarrega ainda mais as vias respiratórias. Isso significa que, quando as paredes das vias aéreas relaxam, corremos mais risco de roncar do que quando o ar passa pela garganta.

Se não for tratada, a apneia do sono pode contribuir para mais problemas e ganho de peso - e te sujeitar a problemas de saúde graves, como doenças cardíacas. Já o ronco por si só pode contribuir para a incapacidade de perder peso. Aqui está o porquê.

Como o ronco afeta a perda de peso

  • Você queima menos calorias à noite.

Ao roncar ou ter momentos de diminuição do fluxo de ar é mais provável que você desperte durante a noite, o que pode resultar em menos tempo no estágio profundo de sono (chamado REM) e mais tempo em estágios leves.

Além de outros inúmeros benefícios, o sono REM é quando a atividade cerebral e a queima de calorias estão no seu máximo. Seu corpo utiliza muita glicose e energia, e é quando acontecem os sonhos.

Conteúdo relacionado: Entenda seu sono

Uma pessoa de 60 quilos que dorme de maneira adequada pode queimar cerca de 50 a 60 calorias por noite, principalmente no sono REM. Mas, se tivermos distúrbios respiratórios do sono, pode ser difícil permanecer em REM, o que significa menos calorias queimadas.

  • Seus hormônios da fome saem do controle.

O sono interrompido pode alterar os níveis de dois hormônios relacionados à regulação do peso. O primeiro é a leptina, hormônio que nos ajuda na sensação de saciedade. O outro é a grelina, hormônio que nos dá fome. Nós secretamos leptina em estágios profundos do sono e nosso corpo produz mais grelina quando não dormimos.

Portanto, se os roncos estão te impedindo de alcançar um sono profundo e você não está obtendo o sono de qualidade necessário, pode acabar acordando com uma fome louca no dia seguinte - graças aos altos níveis de grelina te incentivando a comer mais.

  • Você fica menos motivado para mudar.

Qualquer coisa que interrompa a continuidade do sono pode nos fazer sentir mais cansados durante o dia, o que torna difícil a realização das tarefas. Afinal, quão difícil é fazer exercícios quando tudo que você quer é a sua cama?

Um pequeno estudo com universitários descobriu que dormir pouco pode afetar negativamente alguns fatores das nossas vidas. E não é exatamente isso que você deseja quando se trata de manter um hábito saudável de exercícios.

  • Você vai ter vontade de comer alimentos gordurosos e açucarados.

Se você sente que está sempre desejando biscoitos ou uma pizza depois de uma noite de sono ruim, não está sozinho. Dormir mal pode levar seu corpo a ansiar por alimentos ricos em calorias, açucarados e gordurosos. Por quê? Seu corpo está com sono e precisa dessa explosão de energia e glicose.

Se você ou seu parceiro perceber que algum de vocês para de respirar durante a noite ou que seu ronco está afetando suas atividades diárias, consulte um especialista.

Quer criar hábitos saudáveis?

Comece hoje mesmo uma mudança positiva no seu estilo de vida e transforme sua rotina com a gente!