Dicas E Artigos

Ociosidade x Fome: Liberte-se da Vontade de Comer Sem Controle

“A fome é a companheira do homem ocioso”. Essa frase famosa nunca foi tão verdadeira.

“A fome é a companheira do homem ocioso”. A frase famosa nunca foi tão verdadeira. 

 

O impulso de comer fora de hora, dar aquela famosa beliscada nas coisas, ou de comer um doce, é uma informação comandada pelo cérebro por mensagens rápidas, fortes, e impulsivas.

É por isso que muitas pessoas têm dificuldade de controlá-las, o que as leva a comer “sem perceber”. 

O problema de comer “sem perceber” é que geralmente fazemos uma escolha nutricionalmente ruim, ou seja, com grandes chances de acarretar em ganho de peso, caso aconteça repetidas vezes.

A melhor maneira de lidar com esse impulso é não lutar contra ele, mas se policiar para que o pensamento seja racionalizado. Treinando o cérebro para racionalizar essa informação, é possível voltar ao equilíbrio e decidir com consciência.

Treinando seu cérebro

 

Existem algumas técnicas que podem ser aplicadas no dia a dia para treinar o cérebro na tomada de decisão. Então, na próxima vez em que você estiver de bobeira e sentir vontade de comer alguma coisa, tente seguir as seguintes etapas:

  1. Pare o que está fazendo e comece a prestar atenção no que está sentindo.
     
  2. Perceba seu humor: está satisfeito ou descontente com algo?
     
  3. Respire profundamente 20 vezes. Isso irá oxigenar melhor o seu cérebro, baixando o nível da sua ansiedade.
     
  4. Observe a sensação física da fome. Você está com fome? Questione qual é o nível dela de 0 a 10.
     
  5. Agora observe se está entediado. A tarefa que está executando no momento traz satisfação ou insatisfação? Você sente que poderia estar fazendo algo mais animado ou mais satisfatório?

 

O objetivo desse exercício é que você chegue a duas conclusões: a primeira, se está realmente com fome e qual o nível dela; a segunda, se na verdade está entediado e quer beliscar com o intuito de sair da situação de tédio.

Essas duas respostas irão determinar sua próxima atitude, para que seja decidida de forma racional e não de forma impulsiva e desequilibrada.

 

Analisando sua fome

 

Se a pontuação para a sua fome for igual ou acima de sete, você deverá comer. Opte por alimentos nutritivos e frescos, em quantidades equilibradas.

Assim, você irá se sentir satisfeito, tanto física quanto mentalmente, por ter tomado a decisão certa para o momento. Afinal, não era simplesmente uma vontade de beliscar, e sim fome de verdade! 

É importante também lembrar que só comer quando se está morrendo de fome não faz nada bem. Nesse estado, tendemos a exagerar na quantidade de comida e comer muito rápido, sem dar tempo para o corpo nos informar que já está satisfeito.

E aí, você já sabe: comemos demais e nos sentimos estufados por horas. 

Se a pontuação for igual ou abaixo de 6, aguarde até a próxima refeição e, neste meio tempo, beba água. Afinal, sabemos que a sede pode ser facilmente confundida com a fome.

Lidando com a ansiedade

 

Se estiver entediado, comer não é mesmo a melhor solução. Não se trata de fome, apenas da ansiedade se manifestando como uma insatisfação com a atividade do momento. 

É muito comum sentirmos vontade de beliscar ou comer uma ‘besteira’ quando nos deparamos com um trabalho desafiador ou temos dificuldade para terminar uma tarefa.

É como se o cérebro estivesse pedindo ajuda para o restante do corpo. Nesse caso, faça uma pausa na atividade e tente se distrair com outra coisa mais animada.

Vale bater um papo com um colega, checar suas redes sociais, escrever um e-mail. Descanse sua mente por alguns minutos e volte mais descansado.

Se ainda assim aquela guloseima não sair da cabeça, substitua-a por uma fruta ou castanhas. Talvez seja o momento para um lanche saudável e gostoso (e seu cérebro vai agradecer pela energia extra).