Dicas E Artigos

Artigos

Diga sim para o que você adora comer! Aqui, você pode.

O excesso de peso e a saúde dos homens
Muitos homens não têm conseguido eliminar os quilos ganhos com o passar dos anos. Esse cenário é preocupante, pois uma série de doenças crônicas são agravadas pelo excesso de peso.

Você sabia que, na população brasileira, há mais homens com sobrepeso do que mulheres? De acordo com os dados coletados pelo Ministério da Saúde através do VIGITEL¹, “no conjunto da população adulta das 27 cidades, a frequência do excesso de peso foi de 48,1%, apresentando maior incidência entre os homens (52,1%) do que entre as mulheres (44,3%)”. 

Outra constatação importante é que, geralmente, os homens não chegam à idade adulta com esse excesso de peso. Ainda segundo o VIGITEL, “em ambos os sexos, a frequência dessa condição tende a aumentar com a idade. O aumento é notável entre as faixas etárias 18−24 e 45−54 anos para ambos os sexos, quando a frequência do excesso de peso é quase duplicada”.   

Essa situação é preocupante, pois muitas doenças crônicas são agravadas com o sobrepeso. Pesquisas apontam que um homem que está 15 kg acima do seu peso, por exemplo, está mais propenso a desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Doenças cardiovasculares

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, as doenças cardiovasculares representam a primeira causa de morte no país e tanto os homens quanto as mulheres com excesso de peso correm o risco de desenvolvê-las. Contudo, ao contrário das mulheres, que costumam ter acúmulo de gordura em torno dos quadris e coxas (corpo em forma de pera), os homens correm um risco maior de ter o funcionamento cardíaco prejudicado, pois eles geralmente têm a gordura localizada em torno do abdômen (corpo em forma de maçã), apresentando a chamada gordura visceral².

Essa gordura traz diversos danos à saúde. As células do tecido adiposo visceral são pouco eficientes em reter gordura. Parte das moléculas de gordura liberadas afeta o funcionamento de órgãos importantes, como fígado, intestinos, rins e pâncreas (por estarem todos próximos, localizados na cavidade abdominal). Com suas atividades prejudicadas, esses órgãos acabam comprometendo também a saúde do coração2.1.

Outra ameaça é a produção, pela gordura, de uma série de compostos que deixam as paredes arteriais mais frágeis, facilitando a ocorrência de enfartos e derrames cerebrais2.2  .

Diabetes tipo 2

O excesso de gordura visceral no corpo dos homens também interfere na quantidade de açúcar no sangue. O aumento do tecido gorduroso no abdômen leva à produção exagerada de substâncias que interferem na ação da insulina produzida pelo pâncreas, aumentando as chances de desenvolver o diabetes.

Segundo dados do Departamento de Pesquisas da Weight Watcher International, um homem que apresente um aumento de peso de 300 gramas por ano, ao final de uma década terá sete vezes mais chances de desenvolver a doença3.

Perder pouco significa muito

A boa notícia é que assim como o ganho de peso aumenta as chances de desenvolver doenças crônicas, emagrecer (mesmo que um pouco) reduz esse risco. Para cada quilo perdido, o colesterol total é reduzido em 1% e o colesterol LDL (o colesterol "ruim") é reduzido em 0,7%. Já o colesterol HDL (o colesterol "bom") tem um aumento de 0,2%. Além disso, os níveis de triglicérides são reduzidos em quase 2% e tanto a pressão arterial quanto os níveis de açúcar no sangue também melhoram.

Perder 4% do peso atual é o suficiente para reduzir o risco de desenvolver tais doenças, de acordo com os dados de um estudo da Weight Watcher International4. Para um homem com 82 kg, por exemplo, essa diminuição equivale a aproximadamente 1,5 kg.

As recomendações do Vigilantes do Peso

O melhor remédio é a prevenção, e o tratamento ideal é o emagrecimento sustentável a longo prazo. Caso contrário, os resultados não terão os efeitos esperados. Para emagrecer e manter o peso saudável, recomenda-se a adoção de um plano alimentar com opções saudáveis e uma vida mais ativa, na qual toda atividade física − estruturada (musculação, ginástica etc.) ou não estruturada (jardinagem, varrer a casa, saltar do ônibus um ponto antes do habitual etc.) − é uma oportunidade de deixar o sedentarismo de lado.

O programa do Vigilantes do Peso não ensina a fazer dieta. Nós nos dedicamos a inspirá-lo e ajudá-lo a adotar um estilo de vida saudável para sempre. Assim, você aprende, efetivamente, a emagrecer e manter o seu peso vivendo melhor. Nossa proposta é abrangente, enfocando boas escolhas alimentares, hábitos saudáveis, ambiente de apoio e atividades físicas.