Alimentação

Existe Gordura Boa e Gordura Ruim?

Trans, saturada e insaturada. Entenda as diferenças e como você pode consumi-las sem causar mal à saúde e ainda emagrecer.

Os tipos de gordura são diferentes e, as quantidades consideradas saudáveis para o consumo, também. Existem três tipos: saturada, insaturada - ambas contribuem para o organismo - e a trans, aquela que os especialistas abominam.

Para acabar com todas as dúvidas, o Nutricionista do Vigilantes do Peso, Matheus Motta, explica cada uma delas.

Gordura trans

Gordura trans - também conhecida como óleo hidrogenado - é a transformação do óleo vegetal em gordura sólida. “Esse tipo de gordura pode ser encontrado de forma mínima em alimentos de origem animal, mas também é produzido pela indústria de alimentos ultraprocessados e vem disfarçado, com o nome gordura parcialmente hidrogenada. Seu consumo não traz benefícios ao organismo, diminui o colesterol bom e aumenta o ruim”, conta Matheus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que em uma dieta de duas mil calorias, um consumo seguro dessa gordura é de apenas 1%. No entanto, boa parte da população ingere mais que isso em alimentos como manteiga, batatas fritas, sorvetes, biscoitos, bolos e bolachas recheadas.

Gordura saturada

Elas são o meio termo quando falamos em benefícios e malefícios para a saúde. Há quem diga que elas são um mal necessário, mas é preciso ficar atento. “Esse tipo de gordura contribui para o aumento do colesterol ruim, o LDL, prejudicial à saúde porque se deposita nas artérias e pode contribuir para o agravamento das doenças cardiovasculares”, pondera o Nutricionista.

Você pode encontrar a gordura saturada em alimentos como carnes vermelhas (contrafilé) e brancas (sobrecoxa de frango), leite integral e derivados (requeijão e muçarela), óleos (de coco e de palma) etc.

Gordura insaturada

As insaturadas são consideradas boas, benéficas ao organismo desde que sejam consumidas com moderação. O tipo se divide em dois subtipos, a monoinsaturada e a poli-insaturada.

“Dentro da classificação poli-insaturada, nós encontramos os ômegas 3 e 6. O primeiro tem ação anti-inflamatória, já o segundo pode provocar a inflamação; por isso é tão importante ter parcimônia na quantidade.”, explica Matheus.

As monoinsaturadas são encontradas em abacates, oleaginosas (amendoim, gergelim, amêndoas) e azeites. Já as poli-insaturadas estão em peixes de água fria (sardinha e salmão), óleos (de soja), oleaginosas (nozes, castanha do Pará) e sementes, como a de linhaça.

Como controlar o consumo

Apesar dos riscos da ingestão excessiva de fontes de gorduras boas, Matheus explica que “o consumo de gorduras saudáveis em quantidades ideais traz muitos benefícios para a saúde, pois é crucial para o sistema nervoso, além de melhorar a absorção de vitaminas como A, D E e K e proteger contra doenças cardíacas.” 

Quando simplesmente cortamos um grupo alimentar, seja para perder ou manter o peso, estamos abrindo mão de uma variedade de alimentos que são verdadeiras fontes de nutrientes, vitaminas, minerais, gorduras essenciais ao bom funcionamento e manutenção do organismo. Criar restrições não é necessário ou indicado, principalmente se seu objetivo é melhorar os hábitos alimentares e mudar o estilo de vida. Foque na reeducação do consumo dos grupos alimentares, inclusive das gorduras.