Bem-Estar
O que é a fome emocional e como identificá-la?
Publicado 4 de Abril, 2022

Você já comeu alguma coisa para aliviar a tristeza, o desânimo ou o nervosismo? Se sim, saiba que você não é o único. Essa situação é muito comum e tem o nome de fome emocional

A fome emocional ocorre quando a pessoa ingere algum alimento para aliviar um sentimento negativo, como tristeza, angústia ou ansiedade. Sendo assim, quem tem essa condição não come porque está com fome, mas sim para compensar um problema.

Com a pandemia causada pela Covid-19, o número de casos de ansiedade aumentaram em todo o mundo. Só em 2020, o número de pessoas que sofrem de ansiedade aumentou em 26%. Isso também levou a um aumento dos casos de fome emocional.

Continue lendo este artigo para descobrir o que é fome emocional, como identificar e tratar esse problema e quais são as principais diferenças entre fome física e fome emocional.

O que é fome emocional?

A fome emocional é um problema psicológico no qual a pessoa come sem estar com fome para aliviar algum desconforto emocional, como tristeza, estresse e desânimo.

Além disso, as pessoas que sofrem dessa condição costumam se sentir culpadas após comer algo só para compensar uma sensação ruim.

Quem tem esse problema também costuma comer mais do que o necessário. Portanto, as pessoas que sofrem de fome emocional podem continuar comendo mesmo após estarem saciadas para se sentirem melhor.

Como identificar a fome emocional?

Uma das formas mais eficazes para se identificar a fome emocional é fazendo um diário alimentar.

Para fazer um diário alimentar você precisa anotar diariamente tudo o que você comeu em um dia da seguinte maneira:

  • Data e hora;
  • Tipo de refeição (café da manhã, almoço ou jantar);
  • O que comeu e em qual quantidade (por exemplo: 1 pão francês com um pouco de manteiga);
  • Onde fez a refeição (no carro, na cozinha ou no trabalho);
  • Como você estava se sentindo quando fez aquela refeição (triste, feliz, angustiado);
  • Se você comeu porque estava com fome (esse tópico é muito importante para quem está tentando identificar a fome emocional).

No diário alimentar você precisa anotar tudo o que comeu no dia. Sendo assim, se você tem o costume de beliscar entre as refeições para ajudar a aliviar o estresse, você também precisa colocar o que comeu nesses momentos no seu diário.

Você pode manter o seu diário alimentar por uma semana. Após o término desse período, você será capaz de compreender melhor os seus hábitos alimentares e analisar se você tem uma tendência de comer como uma forma de compensar as emoções negativas.

Quais são as causas da fome emocional?

A fome emocional está ligada aos sentimentos da pessoa. Portanto, as causas dessa condição estão relacionadas às emoções.

Normalmente, quem sofre de fome emocional não sabe como lidar com os seus problemas de outra forma, por isso desconta na comida.

Algumas das situações que podem desencadear a fome emocional são:

  • Problemas no relacionamento familiar;
  • Situações estressantes no trabalho;
  • Problemas de saúde;
  • Falta de dinheiro.

Leia também: Como combater o estresse e a ansiedade

5 diferenças entre fome física e fome emocional

A fome física e a fome emocional não são a mesma coisa, e é importante que você conheça as diferenças entre elas para ter certeza se você está usando a alimentação como uma forma de aliviar a tristeza ou ansiedade.

Sendo assim, confira agora quais são as 5 principais diferenças entre esses dois tipos de fome:

1. A fome emocional aparece de repente

A fome emocional surge do nada, já a física começa a aparecer gradualmente. Portanto, se você costuma sentir fome repentinamente, pode ser um sinal de que você sofre de fome emocional.

2. A fome emocional deixa a pessoa com vontade de comer um alimento específico

Quem sofre dessa condição fica com vontade de comer um alimento reconfortante, como um pedaço de bolo ou outro doce. Já quando a pessoa está com fome de verdade, ela aceita comer qualquer tipo de alimento.

3. Quem come para aliviar emoções negativas sente culpa depois

É comum ver pessoas que sofrem de fome emocional se sentirem culpadas depois de comer para compensar um momento de estresse ou de tristeza. Contudo, quem se alimenta para aliviar a fome física não sente culpa no final da refeição.

4. Essa condição pode levar a pessoa a comer porções exageradas de comida

Quem tem essa condição costuma comer porções exageradas de comida. Além disso, pessoas que sofrem de fome emocional podem continuar comendo mesmo após já estarem satisfeitas. Já as pessoas que não sofrem desse problema costumam parar de comer quando ficam saciadas.

5. A fome emocional gera ansiedade para se alimentar

Quem sofre dessa condição pode sentir um impulso muito forte para comer algum alimento, mesmo sem estar com fome física.

Quais são as consequências da fome emocional?

A fome emocional pode gerar muitas consequências negativas para quem sofre desse mal, como:

  • Distúrbios alimentares (como bulimia e compulsão alimentar);
  • Sobrepeso;
  • Colesterol alto;
  • Hipertensão;
  • Ficar mais propenso a desenvolver doenças como diabetes e problemas cardiovasculares.

Veja também: Emagrecimento e Saúde Mental: Conheça Mais Sobre Essa Relação Direta.

7 dicas para controlar a fome emocional

A fome emocional é um problema sério e que pode trazer consequências graves para a saúde da pessoa. Além disso, ao comer para aliviar as tensões, a pessoa não vai tratar a causa real do seu problema, o que pode deixá-lo mais grave.

A melhor forma de controlar a fome emocional é fazendo um tratamento com um psicólogo. Isso porque, só esse profissional será capaz de identificar as causas do seu problema e ajudar você a lidar com as emoções negativas.

Contudo, também existem outras formas de controlar a fome emocional que você pode usar no seu dia a dia, são elas:

  1. Fazer exercícios físicos - essa prática ajuda a aliviar a ansiedade e o estresse, portanto, ela é uma aliada no combate da fome emocional;
  2. Praticar yoga - essa é outra prática que contribui para diminuir a tristeza, a ansiedade e o estresse;
  3. Meditar - essa técnica contribui para deixar a pessoa mais relaxada e menos ansiosa;
  4. Ter um hobby - quem realiza atividades que considera prazerosas também costuma se sentir mais relaxado;
  5. Consumir alimentos ricos em triptofano, que é o precursor da serotonina, neurotransmissor relacionado à sensação de bem-estar;
  6. Evite consumir alimentos ricos em cafeína, pois eles podem aumentar a ansiedade;
  7. Durma bem - um sono reparador também ajuda a reduzir o estresse.

Agora que você já sabe como controlar a fome emocional, coloque essas dicas em prática e tente parar de usar a comida como uma forma de compensar emoções ruins.

A reeducação alimentar também pode ser uma boa alternativa para melhorar os impulsos da fome emocional.

Se você quer mudar seus hábitos alimentares e emagrecer de forma saudável, conte com todo o apoio necessário para esse processo com o Programa WW, cientificamente comprovado e perfeito para perder peso, aumentar a qualidade de vida e melhorar a saúde.

Quer criar hábitos saudáveis?

Comece hoje mesmo uma mudança positiva no seu estilo de vida e transforme sua rotina com a gente!