Bem-Estar
Doenças causadas pela obesidade: quais são e como tratar
Publicado 3 de Fevereiro, 2022

As doenças causadas pela obesidade são variadas e causam problemas de saúde física e mental. A melhor saída é a prevenção. Porém, quando já estão instaladas, é preciso fazer o tratamento adequado.

Você já deve saber que existem várias doenças causadas pela obesidade. Algumas são mais comuns, enquanto outras são menos conhecidas. A questão é que qualquer uma delas precisa ser evitada e combatida. Afinal, é da sua saúde que estamos falando.

Por isso, é preciso entender qual a relação entre obesidade e doença. Na verdade, o próprio excesso de peso é considerado um problema crônico derivado de vários fatores. Isso acontece devido à inflamação causada no organismo.

Porém, a sobrecarga à qual o organismo passa também interfere na qualidade de vida. Por isso, mais do que entender que o ganho de peso ao longo dos anos é natural, é necessário ter cuidado constante, manter hábitos saudáveis e obter informações.

Esse é o motivo pelo qual apresentamos as principais doenças causadas pela obesidade, quais são seus sintomas e como tratá-las. Acompanhe e mude de vida!

Quais são as doenças que podem ser causadas pela obesidade?

A própria obesidade é uma doença crônica. Segundo o IBGE, o Brasil tem 60% de pessoas acima do peso. Isso representa 96 milhões de habitantes com excesso de gordura corporal. Desse total, 27 milhões têm Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30 kg/m².

Esses indivíduos têm uma propensão maior a desenvolverem problemas. Entre eles estão as doenças que listamos a seguir.

Hipertensão

Também chamada de pressão alta, causa o aumento da pressão nos vasos sanguíneos. Geralmente, o problema é derivado do consumo exagerado de alimentos com gorduras saturadas e sódio.

Além disso, a falta de atividades físicas e o sedentarismo comprimem os vasos. Dessa forma, há o aumento da pressão. No entanto, é uma doença silenciosa, que pode ter seu diagnóstico adiado.

O tratamento é feito com medicamentos, conforme indicação médica. Ainda é preciso adotar hábitos saudáveis, com reeducação alimentar e realização de exercícios físicos. Também costuma ser indicado acompanhar a pressão por meio de aparelho apropriado. O procedimento pode ser feito até mesmo em casa.

Diabetes

É caracterizada pelo aumento da glicemia, ou seja, dos níveis de glicose no sangue. No caso dos obesos, vale o diabetes tipo 2, derivado da dificuldade do pâncreas em secretar insulina. Ou seja, o excesso de açúcar e carboidratos gera uma produção insuficiente do hormônio, mas ele não é totalmente aproveitado. Com isso, há um pico no organismo e ocorre a hiperglicemia.

O tratamento é feito com a aplicação de insulina diariamente e uso de outros medicamentos, conforme orientação médica. Além disso, as práticas saudáveis para a rotina são essenciais.

Dislipidemia

A dislipidemia é uma doença que surge devido a alterações nos níveis de lipídios no sangue. Normalmente, surge como consequência do aumento do colesterol total e dos triglicerídeos.

Aqui, é preciso saber que existe o HDL, também conhecido como colesterol bom, e o LDL, colesterol ruim. Ambos são importantes para o organismo, já que são componentes das membranas celulares. Por isso, o próprio corpo os produz.

A questão das doenças associadas à obesidade é que, nesse caso, o nível total do colesterol aumenta de maneira significativa devido à má alimentação e à falta de realização de atividades físicas. Assim, há um risco maior de entupimento de veias e artérias.

Para tratar essa doença, é necessário adotar uma alimentação com baixo teor de gordura e incluir a prática de exercícios físicos na rotina diária. Em casos mais graves, ainda é necessário adotar medicação apropriada, desde que com recomendação médica.

Apneia do sono
mulher deitada com a mão na cabeça. Ao lado há um despertador. Imagem simboliza o tópico de apneia do sono

As doenças respiratórias também podem aparecer como uma das consequências da obesidade. A mais comum é a apneia do sono, que gera paradas involuntárias da respiração durante o sono. O problema é derivado do aumento da gordura no pescoço e no tronco. Com isso, a entrada de ar fica difícil e a faringe fecha de maneira repentina.

Esse movimento faz com que a pessoa desperte de maneira muito rápida. Isso desequilibra os níveis de oxigênio no sangue. Assim, durante o dia, há sono e dificuldade de avaliação e raciocínio.

Esse problema pode ser tratado com a redução do peso. Há pessoas que fazem exames para verificar os movimentos durante o sono e usam aparelhos específicos para melhorar a respiração enquanto dormem. Porém, sempre é preciso ter a recomendação médica.

Quais doenças são produzidas ou agravadas pela obesidade?

Apesar das doenças relacionadas à obesidade citadas acima, a verdade é que ainda existem outras que podem surgir por conta do acúmulo de gordura ou serem agravadas por ela. Em todos os casos, há diminuição da qualidade e da expectativa de vida.

Por isso, vale a pena conhecer quais outras enfermidades estão associadas ao excesso de gordura corporal. Apresentamos a seguir.

Síndrome metabólica

Consiste em um conjunto de fatores de risco gerados como uma das consequências da obesidade. Ou seja, é a combinação do excesso de gordura corporal com elevação dos triglicerídeos, pressão arterial e glicemia em jejum.

Com o surgimento da síndrome metabólica, há um risco maior de mortalidade e eventos cardiovasculares. Normalmente, a doença aparece como excesso de peso na região abdominal. Por isso, o tratamento consiste em melhoria do estilo de vida e redução do peso.

Doenças cardiovasculares

A obesidade é um fator de risco para várias doenças do coração. Entre elas estão:

  • doenças arteriais coronarianas (DAC);
  • infarto do miocárdio;
  • angina;
  • acidente vascular cerebral (AVC);
  • insuficiência cardíaca congestiva (ICC);
  • hipertensão;
  • fibrilação arterial.

Como a gama de problemas é enorme, o tratamento e os sintomas dependem de cada situação. Por exemplo, a angina causa a sensação de queimação, pressão ou aperto no peito, além de falta de ar e formigamento.

Por sua vez, na ICC, aparece falta de ar, sensação de fraqueza e cansaço, inchaço dos pés e das pernas, e mais. Portanto, o ideal é conversar diretamente com o médico para descobrir o melhor tratamento para o seu caso.

Asma

Além da apneia do sono, a asma também pode surgir como consequência da obesidade. Isso acontece porque ocorre o estreitamento dos bronquíolos. Assim, há dificuldade na respiração.

Aqui, é bom destacar que as causas da asma não são totalmente conhecidas. Porém, tende a ser uma das doenças causadas pela obesidade. O motivo é a inflamação do organismo. Ela acontece devido a uma substância produzida pelo tecido adiposo e pelos níveis elevados de colesterol. Por isso, é comum surgir em pacientes que estão acima do peso.

O tratamento deve ser feito com a melhoria da qualidade de vida e adoção de hábitos saudáveis. No entanto, o médico também pode receitar medicamentos anti-inflamatórios, como os corticosteróides inalatórios, as conhecidas bombinhas.

Quais são as principais complicações da obesidade?

Todas as doenças causadas pela obesidade que foram citadas são complicações importantes. Ainda tem outras, como:

  • aterosclerose, ou acúmulo de placas de gordura, cálcio e outras substâncias nas artérias;
  • gangrena;
  • aneurisma;
  • câncer de endométrio, de mama e de cólon;
  • colecistopatias, ou seja, doenças da vesícula biliar;
  • esteatose hepática, isto é, aumento de gordura no fígado;
  • osteoartrite;
  • doenças coronárias;
  • síndrome do ovário policístico;
  • alterações dermatológicas, como estrias, celulites, micoses, linfedema e mais.
Quais são as principais doenças físicas e psicológicas relacionadas à obesidade?

As doenças físicas já foram citadas, mas também existem complicações psicológicas. Entre as principais estão:

Segundo a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), aproximadamente 60% do obesos apresentam distúrbios psiquiátricos e de 25% a 30% têm Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP).

Por isso, a psicoterapia pode ser um dos tratamentos indicados pela equipe médica. Nesse processo, contar com o apoio de profissionais e pessoas que passam pela mesma situação ajuda muito. É o caso de contar com coaching e mentorias online de apps para perda de peso.

Como evitar a obesidade e suas complicações?

O mais importante é adotar um estilo de vida saudável. Isso significa ter uma alimentação equilibrada e realizar atividades físicas com frequência. O indicado pela OMS é fazer de 150 a 300 minutos de exercício por semana.

Quem já tem alguma das doenças causadas pela obesidade precisa fazer acompanhamento médico. A abordagem multidisciplinar é necessária para enfrentar os desafios. Em alguns casos, medicamentos e cirurgias são recomendados.

De toda forma, a prevenção é o ideal. Assim, você evita ter qualquer uma das doenças causadas pela obesidade, além do próprio excesso de peso.

E você, quer evitar a obesidade agora e começar a ter um estilo de vida mais saudável?

Conheça o Programa de Pontos Pessoais do WW que vai revolucionar sua vida!

Quer criar hábitos saudáveis?

Comece hoje mesmo uma mudança positiva no seu estilo de vida e transforme sua rotina com a gente!

Footnote Text