Alimentação

Dietas da Moda: Conheça as Principais e Descubra o que elas Podem Causar no seu Organismo

Selecionamos as dietas mais pesquisadas na internet para te ajudar a compreender quais são os riscos e os benefícios de cada uma

 

Elas estão nas revistas, na televisão, na internet e no dia a dia de milhares de pessoas.

As dietas da moda são bastante procuradas por quem deseja emagrecer e ter mais saúde.

Quando não estamos contentes nossos hábitos alimentares, a primeira coisa que fazemos é procurar por dietas da moda.

Basta uma simples pesquisa na internet para nos depararmos com promessas milagrosas de emagrecimento.

Mas, afinal, será que elas funcionam? Por que adotar uma e não outra?

Nós do WW Vigilantes do Peso mapeamos os principais regimes, suas características principais, vantagens e desvantagens.

 

Antes de aprofundarmos, confira as principais dietas da moda e os prós e contras de cada uma!

 

Principais Dietas da Moda

 

 

Dieta SirtFood

  • Emagrecimento rápido.
  • Não considera processos metabólicos diferenciados e pode causar deficiências nutricionais.

 

Dieta Low Carb

  • Ajuda a regular os níveis de triglicérides.
  • Pode provocar constipação, fadiga, dores de cabeça e mau humor.

 

Dieta Atkins

  • A sensação de saciedade tende a durar por mais tempo.
  • Prejudica rins, fígado e sistema cardiovascular.

 

Dieta Dukan

  • Promete emagrecimento rápido.
  • Pode ocasionar constipação, cansaço, tontura e sobrecarga renal.

 

Dieta Cetogênica

  • Queima de gordura em curto prazo.
  • A perda de cálcio, vitamina D, potássio, magnésio e ácido fólico geram uma série de complicações graves.

 

Dieta Glúten-free

  • Pode aumentar o bem-estar e a disposição para atividades físicas.
  • Existem muitos alimentos que não possuem glúten, mas são altamente calóricos. Essa dieta pode  enganar os mais desatentos que consomem apenas produtos glúten-free sem ler a embalagem.

 

Dieta Paleolítica

  • Acredita-se que o consumo de proteínas e gorduras insaturadas e a baixa ingestão de carboidrato ajuda na definição e tônus muscular.
  • O alto consumo de carne pode comprometer os rins. O jejum, que faz parte dessa dieta, pode causar hipoglicemia, dificuldades de concentração.

 

Dieta Mediterrânea

  • O alto consumo de peixes, ricos em Ômega-3 beneficia os sistemas neurológicos, cardiovascular e digestivo.
  • Os custos dos alimentos tendem a ser altos. Não há um consenso sobre as quantidades específicas de alimentos ou tamanho de porções. Existe a chance dessa dieta levar a um aumento de peso se não houver a ingestão adequada de proteínas.

 

Jejum Intermitente

  • Emagrecimento rápido.
  • Pode causar tontura, fraqueza, perda de massa magra e compulsão na próxima refeição.

 

Dieta Alcalina

  • Incentiva o consumo de frutas, legumes e verduras. Regulariza os níveis de PH do organismo, de modo a reduzir a acidez e o crescimento de bactérias que causam infecções no trato urinário.
  • Restringir peixes, grãos integrais, carnes magras e laticínios desnatados impede a absorção de nutrientes importantes para o organismo.

 

Dieta do Tipo Sanguíneo

  • Incentiva o consumo de alimentos nutritivos e integrais.
  • A restrição de alimentos por tipagem exclui do cardápio nutrientes importantes, o que pode gerar um quadro de deficiência de vitaminas, por exemplo.

 

Dieta One Meal a Day

  • A pessoa pode comer o que desejar em apenas uma refeição por dia. Não há restrição de tipo e quantidade de alimentos.
  • Uma dieta que consiste em 23 horas sem ingestão de calorias gerar redução de massa muscular e fragilidade nos sistemas imunológico, cardíaco e neurológico.

 

Dieta da Fruta

  • Promove uma espécie de detox no organismo.
  • Pode gerar deficiência de gordura e proteína, além de anemia, osteopenia, deficiência de vitaminas do complexo b e uma série de transtornos neurológicos, e emocionais.

 

Dieta sem Gordura

  • Incentiva a eliminação de gorduras saturadas do cardápio.
  • Pode causar efeito-sanfona e induzir o alto consumo de carboidratos.

 

Dieta da Primavera

  • Incentiva o aumento do consumo de frutas, legumes e verduras.
  • Restringe o consumo de calorias e da quantidade de cada alimento.

 

O que é dieta?

 

 A dieta diz respeito ao conjunto de componentes alimentares que devemos consumir para garantir nosso equilíbrio nutricional. Essa palavra vem do grego díaita, que quer dizer “modo de vida”.

Com essa definição, já podemos compreender que a dieta está relacionada a hábitos e escolhas.

No entanto, ao longo do tempo, ela passou a ser usada para definir regimes alimentares com um único objetivo: perda de peso e melhora de saúde e auto estima.

É aí que as dietas da moda começam a surgir. São tantas nomenclaturas e promessas que, ao primeiro contato, muitos acreditam ser a solução que estava faltando para nossa vida.

Mas, será que é mesmo assim? Vamos responder essa pergunta sinalizando o que as dietas da moda têm prometido e o que está por trás de cada uma delas.

Confira:

 

 Dieta SirtFood

 

A dieta Sirtfood ganhou os holofotes recentemente porque foi a responsável pela perda de 45kg da cantora britânica Adele.

Ela tem como base a restrição calórica unida com alimentos que estimulam sirtuína, enzima responsável pela longevidade.

Apesar da fama, o modelo dessa dieta ainda está em estudo e não há embasamento científico sobre a sua real funcionalidade.  Assim como as outras dietas da moda, ela promete emagrecimento rápido.

Seu “cronograma” é pautado em 3 fases que duram, aproximadamente, 7 dias. Na primeira, é permitida a ingestão de 1000 calorias diárias.

Na segunda fase, as calorias aumentam para 1500 divididas em 2 refeições e 2 sucos verdes. Por fim, na terceira fase, as calorias param de ser contadas.

A pessoa passa a ingerir os alimentos que ativam a sirtuína, como vinho, chocolate, couve, morango, azeite, oleaginosas, entre outros.

Durante o processo de emagrecimento, você pode repetir as duas primeiras fases sempre quiser.

 

Desvantagens da dieta SirtFood

 

A dieta SirtFood apresenta uma indicação de calorias idêntica para todos, principalmente na primeira fase.

Como temos processos metabólicos diferentes nem sempre o emagrecimento vai ser igual.

Os ajustes nas metas da contagem das calorias deveriam estar aliados a outros fatores, como prática de exercícios, por exemplo.

Começar esta dieta sem um acompanhamento médico pode levar a diminuição do metabolismo, bem como deficiências nutricionais.

Outro ponto é que nas fases principais da dieta há uma restrição alimentar considerável.

Além disso, não há um processo de reeducação alimentar. Ou seja, ao acabar a dieta, a pessoa volta a comer e pode ganhar ainda mais peso.

 

Dieta Low Carb

 

A dieta Low Carb é focada na diminuição da ingestão de carboidratos, como massas, pães e açúcares.

Em virtude da grande diminuição desse nutriente, o organismo passa a utilizar a gordura a para fornecer energia, promovendo o emagrecimento.

Na Low Carb, você até pode consumir algumas fontes de carboidrato, como legumes, verduras, frutas e grãos, mas de forma limitada.

Em virtude da grande diminuição do nutriente, o organismo passa a utilizar a gordura localizada para fornecer energia.

Os carboidratos são os nutrientes absorvidos mais rapidamente pelo corpo.

Quando se evita esse tipo de alimento, é comum sentir-se mais saciado, o que permite a perda de medidas em poucas semanas.

A Low Carb também pode reduzir a glicemia no sangue, uma vez que você diminui a ingestão de carboidratos e açúcares.

Da mesma forma, ela ajuda a regular os níveis de triglicérides que, em excesso, causam problemas cardiovasculares.

 

Desvantagens da Dieta Low Carb

 

Uma das desvantagens da Low Carb é que ela pode provocar constipação, já que grande parte das fibras estão presentes em frutas, legumes, verduras e grãos integrais.

Além de ser incômoda, ela pode causar fadiga, dores de cabeça e até mau humor.

A falta de energia pode ser comum às pessoas que seguem a dieta.

Para quem pratica atividades físicas, esse pode ser um grande inconveniente. 

 

Dieta Atkins

 

A Atkins é a primeira dieta focada no baixo consumo de carboidrato de que se tem notícia.

Ela foi desenvolvida pelo cardiologista Robert Atkins, na década de 1970. Ela é dividida em 4 fases que determinam a quantidade máxima de carboidratos consumida.

Na primeira, o limite de carboidrato é de 20g por dia, o que equivale a 2 bananas-prata médias, por exemplo.

Está liberada a ingestão de alimentos ricos em proteína e gordura, como queijos, ovos e carne.

Na segunda fase, o consumo de carboidrato aumenta gradativamente, cerca de 5g por dia (até o limite de 50g).

Nesse período, já é possível comer outros laticínios, frutas com pouco carboidratos e legumes.

Na terceira etapa, o consumo de carboidrato pode ser de até 80g por dia.

Nela, é permitido comer alimentos como mandioca, arroz, batata e grãos.

 O último estágio é focado na manutenção dos resultados alcançados no terceiro.

Pela dificuldade de manter o peso desejado, muitas pessoas retomam a primeira fase.

Com essa dieta, é possível manter a sensação de saciedade por mais tempo.

Além disso, você pode comer uma grande quantidade de alimentos, desde que sejam respeitadas as restrições.

 

Desvantagens da Dieta Atkins

 

Apesar da rápida perda de peso essa dieta implica na perda de massa magra devido à restrição de nutrientes responsáveis pela construção muscular.

Além disso, ela pode provocar tontura, fraqueza, mal-estar e constipação.

Devido à alta ingestão de fontes de proteína animal, como carne vermelha, o risco de desenvolver problemas cardiovasculares aumenta.

Isso porque a carne é rica em gordura saturada e seu  consumo excessivo sobrecarrega os rins e o fígado.

 

Dieta Dukan

 

Criada pelo médico francês Pierre Dukan, essa dieta também tem como objetivo a diminuição da ingestão de carboidratos.

Toda a filosofia e técnica por trás dessa alimentação está no livro Dieta Dukan, escrito pelo especialista.

Segundo o seu criador, essa dieta consiste na perda de 5 quilos já na primeira semana.

Ela tem quatro etapas bem definidas a serem seguidas, sendo que o último estágio não possui prazo determinado para terminar.

A primeira, chamada de ataque, consiste na ingestão de proteínas de baixo teor de gordura, como frango, peixes, ovos, entre outros.

Durante a primeira semana, vegetais, frutas e outros alimentos não estão incluídos no cardápio.

Na segunda semana, a quantidade de proteína diminui e já é possível adicionar vegetais, frutas e carboidratos aos pratos. As proporções são determinadas pelos objetivos e resultados alcançados até o momento.

A terceira etapa é a da consolidação, período que dura 10 dias por quilo perdido.

Se a pessoa tiver perdido cinco quilos, por exemplo, ela irá se alimentar durante 50 dias de maneira controlada.

A última fase é chamada de estabilidade e não tem prazo para terminar.

Ela é a mais simples de ser seguida, pois envolve escolher um dia da semana para ingerir apenas proteína pura.

Uma das vantagens da Dieta Dukan é poder se alimentar sem precisar contar as calorias e medir as porções.

Além disso, ela permite emagrecer em poucos dias, por ser tão restritiva com relação aos carboidratos.

 

Desvantagens da Dieta Dukan

 

Em virtude da restrição de nutrientes e excesso de proteínas, a Dieta Dukan pode ocasionar constipação, cansaço, tontura e sobrecarga renal. A deficiência de minerais é um outro problema causado por ela.

Outra desvantagem é que, por ser muito restritiva no começo, a Dukan pode gerar o temido “efeito sanfona” no final, fazendo com que a pessoa aumente de peso novamente.

 

Dieta Cetogênica (Keto)

 

Desenvolvida nos Estados Unidos na década de 1920, a Dieta Cetogênica tinha como objetivo tratar pacientes epiléticos. Nesse tipo de alimentação, o indivíduo se priva de comer carboidrato.

Como a glicose está associada às funções cerebrais, a diminuição do nutriente ajuda a conter as crises.

Na Dieta Cetogênica, as gorduras constituem a principal fonte de energia, chegando a até 70% das calorias diárias.

Se você privar seu corpo de sua fonte principal de energia, que é a glicose, sintetizada a partir de carboidratos, ele entra em um estado de cetose.

Nesse momento, ele passa a mobilizar a gordura estocada para usar como combustível.

Durante esse processo, são liberados o que chamamos de corpos cetônicos.

Eles são retirados de diferentes tecidos que compõem diversos tecidos do organismo.

A Dieta Cetogênica pode resultar em um emagrecimento a curto prazo.

Isso acontece porque, ao não receber a energia advinda da glicose, o corpo passa a queimar gordura e promover o emagrecimento rápido.

 

Desvantagens da Dieta Cetogênica

 

As pessoas que seguem essa dieta costumam sentir muitos enjoos e náuseas, causados pelos corpos cetônicos — substâncias que são liberadas quando o corpo converte a gordura em energia.

Essa dieta pode causar deficiências nutricionais, fadiga, mau humor, irritabilidade, dor de cabeça, perda de massa magra, constipação, confusão mental e hipoglicemia.

A perda de cálcio, vitamina D, potássio, magnésio e ácido fólico também são consequência dessa restrição.

Dependendo do organismo, essa dieta gerar complicações mais graves.

Existe um risco adicional em que os corpos cetônicos aumentam demais, causando a cetoacidose.

Nesse quadro, os níveis de dessa substância no sangue atingem níveis tóxicos.

 

Dieta Glúten-free

 

A Dieta Glúten-free começou a se popularizar após a descoberta da doença celíaca.

A exclusão o glúten da alimentação tende a gerar um quadro de emagrecimento. Por isso, pessoas sem a intolerância ao glúten passaram a aderir a ela.

Embora o glúten seja visto como um vilão, ainda não existe estudo que associe o consumo da proteína ao ganho de peso.

Como ele está presente em pães e bolos, ao diminuir o consumo desses itens, é normal observar a redução do peso na balança.

 

Desvantagens da Dieta Glúten-free

 

Essa dieta não apresenta muitas vantagens.

Mesmo que a retirada do glúten ainda possa aumentar o bem-estar e a disposição para atividades físicas, ainda assim isso pode causar certo desconforto.

Vale lembrar que alguns alimentos que não possuem glúten são altamente calóricos.

Por esse motivo, essa dieta da moda pode enganar os mais desatentos que consomem apenas produtos glúten-free sem ler a embalagem.

Por fim, eliminar por completo os cereais da alimentação não é um benéfico, já que esse eles estão associados ao controle do colesterol e à digestão.

 

Dieta Paleolítica

 

A Dieta Paleolítica propõe uma rotina de alimentação com base na ancestralidade.

Na opinião dos seus defensores, o corpo humano não se desenvolveu tanto para ter uma receber nutrientes tão variados como os da atualidade.

Essa dieta da moda vem ganhando popularidade entre os adeptos de atividades físicas de alta intensidade como o Crossfit.

Ela consiste no alto consumo de proteínas e gorduras insaturadas.

Acredita-se que esses nutrientes sejam ideias para dar resistência e força, enquanto o baixo consumo de carboidrato ajuda na definição e tônus muscular. As refeições são compostas de carnes, frutas, legumes e vegetais.

Como naquela época ainda não existiam plantações de grãos, esses alimentos e os derivados dele (massas) estão excluídos da alimentação.

A Dieta Paleolítica também prega o jejum.

Ela beneficia o corpo ao estimular a ingestão de verduras e frutas, por exemplo.

O consumo de carne se justifica pelo fato de esses alimento fortalecer as funções vitais do organismo.

 

Desvantagens da Dieta Paleolitíca

 

Apesar da Dieta Paleolítica ser focada em alimentos naturais, em excesso, eles também podem ser prejudiciais.

O alto consumo de carne pode comprometer os rins. No caso do jejum, ele pode causar hipoglicemia, dificuldades de concentração.

 

Dieta Mediterrânea

 

A Dieta Mediterrânea é inspirada na alimentação dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo, como Itália, França, Espanha e Grécia. Nessas localidades, as populações têm uma alta expectativa de vida e pouca incidência de doenças.

Esses aspectos se devem principalmente ao consumo de azeite de oliva, oleaginosas, peixes, leguminosas, vinho, entre outros alimentos.

Entre as dietas da moda, essa está entre as que menos oferecem riscos.

Fontes de proteínas animais, como ovos e laticínios, devem ser consumidos poucas vezes na semana.

Peixe ou frango, duas vezes na semana e carne vermelha apenas algumas vezes no mês.

Diversos estudos já comprovaram os benefícios dessa dieta.

Quem a segue tem menos risco de sofrer problemas cardiovasculares, diabetes e prisão de ventre.

Por causa do alto consumo de peixes, ricos em Ômega-3, o cérebro também é protegido.

Pesquisas mostram a diminuição do risco de doenças cardíacas em 47%, após um período de 10 anos.

Essa dieta oferece proteção do cérebro e fortalecimento da densidade óssea após a menopausa.

 

Desvantagens da dieta Mediterrânea

 

A Dieta Mediterrânea é a que menos possui desvantagens.

No entanto, os obstáculos que podem surgir estão relacionados aos custos dos alimentos, que tendem a ser altos e pouco acessíveis.

Além disso, ainda não há um consenso sobre as quantidades específicas de alimentos ou tamanho de porções.

Existe a chance dessa dieta levar a um aumento de peso, já que tem uma grande ênfase em alimentos ricos em gordura, embora sejam saudáveis.

Vale lembrar que os benefícios da dieta mediterrânea estão relacionados ao consumo da combinação completa dos alimentos sugeridos.

Além disso, é importante inserir hábitos saudáveis à rotina.

 

Jejum Intermitente

 

O jejum não é considerado propriamente uma dieta. Na verdade, ele é um método em que a pessoa não come durante algumas horas do dia.

No período do jejum, só é permitido ingerir líquidos sem calorias, como água, café e chá sem açúcar.

O jejum pode acontecer em alguns dias da semana ou ser feito diariamente.

Esse tempo em que o organismo é privado de alimentação provoca a queda de insulina e da glicemia.

 

Desvantagens do Jejum Intermitente

 

A dificuldade de adaptação é uma das principais desvantagens do Jejum Intermitente.

Tontura, fraqueza, perda de massa magra e compulsão na próxima refeição estão entre os efeitos colaterais mais recorrentes nesse tipo de dieta.

 

Dieta Alcalina

 

A Dieta Alcalina consiste na limitação de alimentos rotulados como “formadores de ácidos”, como carne, peixe, laticínios, grãos, álcool, alimentos ultra processados e açúcar refinado.

O objetivo é incentivar o consumo de alimentos alcalinos, como frutas, legumes e verduras.

Uma das orientações dessa dieta é o consumo de água alcalina. Seu objetivo é regular os níveis de PH do organismo, de modo a reduzir a acidez.

Ao seguir uma dieta alcalina a acidez da sua urina pode diminuir, o que pode reduzir o crescimento de bactérias responsáveis por infecções no trato urinário.

No entanto, isso não vai afetar o pH do seu sangue ou corpo.

 

Desvantagens da dieta alcalina

 

Restringir alimentos como peixes, grãos integrais, carnes magras e laticínios desnatados implica na redução de fontes valiosas nutrientes para nosso organismo.

Além disso, a ingestão de frutas e legumes, pode levar a um emagrecimento a curto prazo e provocar o temido efeito sanfona.

 

Dieta do Tipo Sanguíneo

 

Essa dieta prevê o consumo de alimentos de acordo com a tipagem sanguínea dos indivíduos.

Basicamente, pessoas com tipo sanguíneo A, O e B devem montar seu cardápio seguindo as seguintes especificações:

  • Tipo A: Restrição de proteína de origem animal e permissão de base de frutas, vegetais e leguminosas.
  • Tipo B: Restrição de trigo, milho, tomate, lentilha e permissão de laticínios e ovos.
  • Tipo O: Restrição de grãos e laticínios e permissão de proteínas.
  • Tipo AB: Restrição de cafeína e álcool e permissão de laticínios, grãos e frutos do mar.

Todas as dietas de tipo sanguíneo dão foco para alimentos nutritivos e integrais. Se realizadas corretamente, elas previnem doenças cardiovasculares.

 

Desvantagens da dieta do Tipo Sanguíneo

 

A restrição de alimentos por tipagem exclui do cardápio nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo, o que pode gerar um quadro de deficiência de vitaminas, por exemplo.

 

Dieta One Meal a Day (OMAD)

 

 A One Meal a Day é uma das versões do jejum intermitente. Traduzido para o português, o termo significa Uma Refeição por Dia.

Nessa dieta, é permitido realizar apenas uma das principais refeições do dia (café, almoço ou jantar).

A pessoa pode comer o que desejar. Não há nenhuma restrição a respeito do tipo de alimento e quantidade de porções que pode ser consumida.

Nas 23 horas restantes, é permitido apenas a ingestão de água, café ou líquidos pouco calóricos.

O jejum intermitente prolongado pode auxiliar no controle da glicemia, assim como pode auxiliar na limpeza do organismo e, também, no emagrecimento.

 

Desvantagens da Dieta One Meal a Day (OMAD)

 

Como já é possível imaginar, uma dieta de 23 horas sem ingestão de calorias pode colocar a saúde em risco.

As deficiências nutricionais podem ser identificadas pela redução de massa muscular e fragilidade do sistema imunológico.

Além disso, a pessoa que faz a OMAD pode desenvolver o efeito sanfona por não conseguir sustentar essa restrição alimentar por muito tempo.

Outro efeito colateral dessa dieta é a perda de vitaminas A, B, D e cálcio.

A hipertensão arterial e diabetes também são consequências negativas da OMAD, uma das dietas da moda mais pesquisadas ultimamente.

 

Dieta da Fruta

 

Essa dieta pode ser realizada de acordo com várias possibilidades.

O método mais comum consiste na ingestão de frutas e uma porção de proteína por um período de três dias.

No primeiro dia, é permitido comer, no máximo,1000 kcal.

Nesse montante já está adicionada a porção de 120 gramas de proteína magra no primeiro dia. No segundo e no terceiro dia, a quantidade deve diminuir para 50 gramas.

A Dieta da Fruta sugere que o organismo vá realizando uma espécie de detox, e em 3 dias, além da perda de 3-4 kg, a promessa é de que a pessoa se sinta mais leve e tranquila.

No entanto, mesmo que as frutas sejam fontes saudáveis de nutrientes e possuam baixas calorias, é importante consumi-las mediante acompanhamento de um profissional da saúde.

 

Desvantagens da Dieta da Fruta

 

As frutas são sempre bem-vindas, principalmente por conter vitaminas, antioxidantes e fibras.

No entanto, manter uma rotina alimentar focada apenas nesses alimentos pode gerar deficiência de gordura e proteína.

Os efeitos colaterais disso são anemia, osteopenia, deficiência de vitaminas do complexo b e uma série de problemas neurológicos, além de transtornos emocionais.

 

Dieta sem Gordura

 

A Dieta sem Gordura consiste na eliminação de todo e qualquer tipo de gordura do cardápio.

Não é permitido consumir carne vermelha, peixes, bacon, manteiga, ovos, entre outras gorduras provenientes de animais.

No caso das gorduras vegetais, o consumo de óleos de soja, canola, milho e girassol deve ser evitado.

De acordo com os desenvolvedores dessa dieta, as gorduras sólidas à temperatura ambiente, conhecidas como saturadas, são as mais prejudiciais.

Além disso, eles justificam que cada grama de gordura fornece 9 calorias para o organismo, uma quantidade relativamente alta se compararmos com proteínas e carboidratos, que oferecem 4 calorias por grama.

O raciocínio é o seguinte: ao restringir a gordura, você reduz também a ingestão de calorias diárias. A consequência disso é a perda de peso.

 

Desvantagens da Dieta sem Gordura

 

Como já explicamos, todos os nutrientes são fundamentais para o bom funcionamento do organismo, inclusive as gorduras.

Se você consumir menos do que a quantidade recomendada desse item, poderá comprometer funções de órgãos importantes.

Isso sem contar no efeito sanfona, que decorre do problema que a maioria das pessoas enfrenta por não conseguir sustentar a dieta por muito tempo.

Além disso, para suprir a falta da gordura, há quem consuma carboidratos em grande quantidade, por exemplo.

 

Dieta da Primavera

 

A Dieta da Primavera diz respeito a um método que consiste na prioridade a pratos coloridos e, portanto, ricos em vegetais.

O recomendado é a realização de 5 refeições por dia, considerando as seguintes cores: vermelho, roxo, laranja, verde e branco.

A quantidade diária de calorias deve ser entre 1000 e 1200, nem mais, nem menos. Por se tratar de uma dieta hipocalórica, ela promove a perda de peso e a redução de gordura corporal em poucas semanas.

 

Desvantagens da Dieta da Primavera

 

Mesmo que essa dieta nos incentive a ter uma alimentação variada e rica em frutas, legumes e verduras, o problema é a restrição do consumo de calorias e da quantidade de cada alimento.

Além disso, não incluir carnes, peixes, entre outras fontes de proteínas, pode gerar carências nutricionais que, se não forem remediadas, desencadeiam uma série de doenças metabólicas, neurológicas e psíquicas.

 

O que podemos concluir sobre as dietas da moda?

 

As dietas da moda podem auxiliar no emagrecimento rápido, porém não garantem uma reeducação alimentar e uma vida mais saudável.

Além disso, elas não consideram as características individuais, o que implica na falta de adaptação de algumas pessoas.

Por isso, antes de adotar uma dieta da moda, é importante conhecer os seus objetivos e buscar o caminho do equilíbrio.

O programa de emagrecimento do WW Vigilantes do Peso pode te ajudar nesse processo, pois ele trabalha com pessoas reais para você se inspirar sem medo.

Não focamos em restrições alimentares e ou sofrimento.

Com o WW Vigilantes do peso, você participa de um programa de reeducação alimentar, sem deixar comer o que gosta.

Comece agora mesmo a fazer parte de um de nossos planos e fique por dentro das novidades que disponibilizamos aqui no blog.

 

ww vigilantesdopeso

 

 

Matheus Motta Nutricionista no Vigilantes do Peso. Com mais de 5 anos de experiência na área atuando em atendimento personalizado, ele é responsável por todo o conteúdo do programa sobre alimentação, saúde e bem-estar.