Alimentação

De olho no rótulo

Você sabe mesmo o que está comendo? Aprenda a decifrar informações nutricionais dos alimentos que consome.

 

Os rótulos são elementos essenciais de informação. Saber ler o rótulo e atentar para o valor nutricional dos alimentos é fundamental para a uma alimentação saudável, uma vez que favorece escolhas para um consumo mais equilibrado.

A demanda crescente da sociedade por informações confiáveis nos produtos exige um esforço do governo e do setor produtivo. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão responsável por isso e estabelece as informações necessárias para a garantia de qualidade do produto e a saúde do consumidor.

Todos os ingredientes devem constar em ordem decrescente da respectiva proporção, ou seja, o primeiro ingrediente da lista sempre será o que está em maior quantidade no produto.

Além de verificar as informações nutricionais e ingredientes dos rótulos atente sempre para a validade do produto. Caso de compre produtos integrais, verifique se os primeiros ingredientes da lista são realmente integrais. “Farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico”, por exemplo, é sinônimo de farinha branca. Não é bom que esteja em maior quantidade em um produto com apelo integral.

Por fim, não supervalorize termos como “zero”; “isento”; “leve”; “fit”; “integral”; “light”; “diet”; “ômega-3”; “fibras”; “grãos”. Muitas marcas utilizam termos e alegações de propriedades funcionais como marketing para impulsionar a venda de produtos. Fique de olho!

 

Entenda agora o significado dos itens da tabela de Informação Nutricional nos rótulos

 

Valor energético - Pode ser expresso em quilocalorias (kcal) ou quilojoules (kJ), diferentes unidades de energia utilizadas para medir calor. As kcal/kJ do rótulo significam a quantidade de energia (a partir de carboidratos, proteínas e gordura) que nosso corpo será capaz de produzir com o consumo daquela porção de alimento para gastar ou armazenar, dependendo da situação.

 

Carboidratos - São componentes dos alimentos. A principal função dos carboidratos é fornecer energia para o organismo. Exemplos de fontes são: açúcar, mel, massas, arroz, pães, farinhas, tubérculos e doces em geral.

 

Proteínas – São componentes dos alimentos. As principais funções das proteínas são a construção, reparação e manutenção de órgãos, tecidos e células. Exemplos de fontes são: carnes (bovina, aves e peixes), ovos, leites e derivados, leguminosas (feijões, ervilha, grão-de-bico, soja, lentilha).

 

Gorduras totais – As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas no alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal. São fundamentais para a produção de hormônios, absorção das vitaminas A, D, E e K e são o principal estoque de energia do corpo humano. Exemplos de fontes são: óleos, azeites, manteiga, margarina.

 

Gorduras saturadas – Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal. Exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado, pois em grandes quantidades pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração.

 

Gorduras trans (ou ácidos graxos trans) – Tipo de gordura encontrado em grande quantidade em alimentos industrializados como margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, pães, bolos, alimentos fritos, alimentos congelados. O consumo desse tipo de gordura deve ser mínimo, já que não acrescenta em nada à saúde e não participa de nenhum processo fisiológico do nosso organismo. Além disso, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração.

 

Fibra alimentar – São componentes dos alimentos que não são digeridos e nem absorvidos pelo organismo, mas exercem função importante para a manutenção da saúde. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino e prolonga a saciedade sendo, portanto, grande aliada no processo de emagrecimento.

 

Sódio – É um mineral presente no sal de cozinha e alimentos industrializados, como salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos (frios, salsichas, linguiças), enlatados. Deve ser consumido com moderação pois seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial.

 

Outros minerais e Vitaminas – A declaração no rótulo torna-se obrigatória quando existe alguma alegação de propriedades nutricionais ou outras referências à estes nutrientes. Exemplo: este produto é fonte de vitamina D; o rótulo deve indicar o quanto de vitamina D o produto possui por porção.