Dicas E Artigos

Compulsão Alimentar: o que é e como evitá-la

Caracterizada pela ingestão excessiva e descontrolada de alimentos em curtos períodos de tempo. Saiba tudo sobre a compulsão alimentar e como evitá-la!

A compulsão alimentar é um quadro que atinge um número significativo de pessoas em todo o mundo. O tema é tão importante que a Academia de Desordens Alimentares (Academy for Eating Disorders - AED), instituição internacional dedicada ao assunto, estabeleceu uma data anual para promover ações de conscientização em relação à compulsão e demais transtornos alimentares: o Dia Mundial da Conscientização sobre os Transtornos Alimentares, em 2 de junho.

No Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 4,7% da população possui algum tipo de transtorno alimentar, incluindo a compulsão, com incidência maior entre jovens de 14 a 18 anos mas atingindo todas as faixas etárias. O percentual nacional é alto, superando os 2,6% de indivíduos com transtornos de ordem alimentar em todo o mundo.

 

O que é a compulsão alimentar?

 

Ela é caracterizada pela ingestão excessiva e descontrolada de alimentos em curtos períodos de tempo - em intervalos de até duas horas. Quem sofre com a compulsão normalmente não tem a percepção inicial de que o descontrole com a comida causa impactos severos na saúde física e mental. 

O autocontrole é afetado, fazendo com que o indivíduo não consiga pensar racionalmente na grande quantidade de comida que ingere. Há um desejo de comer mesmo sem que haja uma real sensação de fome. Mesmo satisfeita a pessoa não para de ingerir os alimentos, e, assim, acaba comendo grandes quantidades de comida em curto espaço de tempo. Nesse artigo falamos mais sobre a fome e a vontade de comer

Os sintomas emocionais da compulsão surgem logo a seguir: arrependimento, frustração, sentimento de descontrole e impotência e culpa são alguns deles. A compulsão alimentar se caracteriza por episódios em que a pessoa come mesmo sem fome, ingerindo grandes quantidades em pouco tempo. O maior risco físico é o ganho de peso, podendo levar a quadros de sobrepeso e obesidade.

 

Quais são as causas da compulsão alimentar?

 

Os fatores genéticos e também ambientais influenciam no aparecimento da compulsão: estresse, ansiedade e depressão são algumas das principais causas do transtorno. Doenças degenerativas como o Mal de Alzheimer também podem desencadear o quadro. 

Por conta disso, a compulsão deve ser tratada de maneira multidisciplinar, observando os reflexos físicos e mentais do quadro no paciente. 

 

Diagnóstico da compulsão alimentar

 

Felizmente, a compulsão tem tratamento e cura, assim como diversos outros transtornos alimentares, mas precisa ser corretamente detectada. O diagnóstico pode ser realizado por um endocrinologista, um psiquiatra, um psicólogo, um nutricionista ou uma equipe multidisciplinar com esses profissionais.  A análise é feita a partir de diversas manifestações que devem ser avaliadas em conjunto. Entre elas estão:

  • Ingestão excessiva e recorrente de alimentos seguida de sentimento de culpa
  • Ingestão excessiva e recorrente de doces ou salgados, de forma voraz
  • Perda de controle durante o episódio de compulsão 
  • Sentimentos de tristeza e decepção após a crise
  • Comer muito rápido
  • Comer até ter a sensação de estômago desconfortavelmente cheio
  • Comer mesmo sem estar com fome
  • Comer longe da presença de outras pessoas
  • Presença de compulsão alcoólica. 

Os exames laboratoriais não costumam ser os indicadores mais utilizados para o diagnóstico. Caso o paciente não tenha nenhuma doença associada, eles tendem a apresentar níveis absolutamente normais, o que pode dar a falsa sensação de que não há qualquer problema. 

 

Tratamento da compulsão alimentar

 

O tratamento deve envolver diferentes profissionais de saúde, dependendo do nível do transtorno e de como ele afeta cada indivíduo. O endocrinologista deve ser o ponto de partida, pois ele é quem faz o diagnóstico por meio da investigação dos episódios de compulsão. Além disso, ele investigará se existem doenças associadas que podem agravar o quadro. 

Profissionais como psiquiatras e psicólogos também desempenham papel fundamental no tratamento e cura da compulsão alimentar. O psiquiatra é quem vai avaliar se há a necessidade do uso de antidepressivos, enquanto o psicólogo atuará no campo da terapia comportamental, identificando e ressignificando os gatilhos que possam desencadear a compulsão. 

O papel do nutricionista também é absolutamente indispensável. É por meio dos conhecimentos deste profissional que a rotina do paciente com compulsão será definitivamente transformado. A reeducação alimentar é inserida no dia a dia por meio de alternativas sugeridas pelo nutricionista. Entre elas estão a ingestão de quantidades menores de alimento, só que com maior frequência, a substituição de guloseimas por alimentos saudáveis, táticas para que o paciente anote tudo o que come e não perca o controle, e assim em diante.

Nos tempos atuais, em que vivemos sob pressão no trabalho e até mesmo nas rotinas pessoais, distúrbios como a compulsão alimentar encontram facilidade em se instalar. Por isso, ao sinal de ingestão frequente e descompensada de alimentos associada a sintomas como culpa ou tristeza, busque ajuda de um profissional. 

Com o tratamento adequado orientado por um médico, com a manutenção de um estilo de vida mais saudável a partir de uma alimentação equilibrada combinada às atividades físicas, a compulsão certamente ficará para trás e deixará de estar presente na sua vida.

 

Confira alguns conselhos do Vigilantes do Peso

 

  • Lembre-se: a comida não deve ser sua maior fonte de conforto nos momentos difíceis. Encontre atividades que te façam sentir bem e faça isso nas horas necessárias.
  • Identifique o ciclo que faz você comer sem parar. Está ansioso antes de uma reunião de família? Tem um projeto importante para apresentar no trabalho? Marcou um encontro no próximo fim de semana? Fique atento às situações em que pensa em recorrer à comida como fuga.
  • Programe suas refeições. Não fique longos períodos sem se alimentar – isso pode gerar exageros na próxima refeição. Crie uma rotina e organize seu relógio biológico.
  • Reduza a quantidade de alimentos industrializados. Eles são as grandes tentações – pelo sabor e praticidade. Em especial, doces e frituras.
  • Faça exercícios físicos. Eles vão te ajudar a se concentrar mais e reduzir a ansiedade. Além disso, fazem bem à saúde de uma forma geral.
  • Beba água. Estar sempre hidratado é importante para o bom funcionamento do organismo e ainda te dá a sensação de saciedade – ou seja, evita que você tenha vontade de comer toda hora.
  • Procure um médico. Ao persistirem os sintomas, o melhor caminho contra a compulsão alimentar é a procura de um profissional da saúde. Ele será capaz de diagnosticar e orientar o melhor tratamento.

Com o Vigilantes do Peso é possível comer tudo o que gosta e acrescentar de forma estratégica os melhores alimentos para o coração, cérebro e ossos, de acordo com o seu objetivo sem precisar sofrer. Conheça nosso programa de emagrecimento e espelhe-se em pessoas reais, assim como você!