Alimentação
Como montar um cardápio para reeducação alimentar?
Publicado 24 de Fevereiro, 2022

Uma boa alimentação é fundamental para a melhora do bem-estar, aumento da qualidade de vida e proteção da saúde. Sabendo disso, um cardápio para reeducação alimentar é indispensável para o dia a dia

Quando você ouve alguém falando sobre perder peso, o que vem à sua cabeça: dietas milagrosas ou reeducação alimentar? Provavelmente, você deve ter pensado na primeira opção. Mas será que essa é a melhor escolha a longo prazo?

Não, nem sempre a dieta é o jeito correto de reduzir medidas. O melhor caminho para fazer as pazes com a balança é por meio da reeducação, que promove o emagrecimento de maneira saudável.

Se você busca adotar novos hábitos na hora de comer, mas não sabe por onde começar, confira como montar um cardápio para reeducação alimentar.

Porém, antes de ficar por dentro das dicas, você precisa saber o que significa esse conceito.

O que é reeducação alimentar?

Basicamente, a reeducação alimentar tem o objetivo de aumentar o bem-estar e, como resultado, melhorar a vitalidade, a resistência, o sistema imunológico e até mesmo a aparência. Além disso, é uma forma de prevenção contra diversos problemas de saúde.

Isso só acontece com mudanças no estilo de vida e nos hábitos alimentares. A ideia é garantir que todos os nutrientes, antioxidantes, vitaminas e sais minerais vitais para o funcionamento do corpo sejam ingeridos corretamente.

Diferentemente das dietas, a reeducação alimentar não possui foco na parte estética e não traz resultados a curto prazo, trata-se de transformações que devem ser levadas para o resto da vida. Enquanto isso, as dietas costumam ser imediatistas e resultadistas, além de possuírem começo, meio e fim.

Vale lembrar que a alimentação saudável, sozinha, não faz milagres. Ela deve ser aliada a atividades físicas e esportivas.

4 dicas para iniciar a reeducação alimentar
1. Consuma alimentos saudáveis

Com certeza, esse é um passo de extrema importância na mudança de hábito. Como dito anteriormente, a essência da reeducação é se alimentar de forma correta e com comidas saudáveis.

Os pratos devem ser coloridos, repletos de frutas in natura, verduras, legumes, hortaliças, nozes, castanhas e cereais integrais. Opte por produtos orgânicos, principalmente os provenientes de pequenos produtores.

2. Evite alimentos ultraprocessados

Se uma das metas da reeducação é ter a alimentação pautada por comidas saudáveis, consequentemente, as ultraprocessadas devem ser eliminadas do cardápio pelo fato de conterem açúcar, realçadores, gordura hidrogenada, aromatizantes e corantes. Todos esses aditivos, e outros presentes nessas comidas, não fazem bem à saúde.

Na sequência, confira alimentos que precisam ser evitados:

  • Refrigerante;
  • Pizza;
  • Hambúrguer;
  • Embutidos;
  • Condimentos;
  • Salgadinhos;
  • Sorvete;
  • Pratos congelados;
  • Fast-food.
3. Não passe longos períodos em jejum

Ficar muito tempo sem comer não é nada benéfico à saúde. Além disso, longos períodos de jejum não ajudam a emagrecer. O correto é comer a cada três horas, como forma de estimular a aceleração do metabolismo.

Mas lembre-se que não é necessário comer bastante, opte por lanchinhos rápidos e práticos. Deixe as refeições complexas para o almoço e jantar, dois importantes momentos no cardápio para reeducação alimentar.

4. Beba bastante água

Beber aproximadamente dois litros de água todos os dias traz uma série de benefícios à saúde. Começando pelo funcionamento do intestino, que trabalha melhor se estiver hidratado. A água também melhora o funcionamento dos rins.

O líquido proporciona a lubrificação das juntas, ajuda a controlar o peso, aumenta a disposição, regula a temperatura corporal, hidrata a pele, auxilia na eliminação de toxinas e melhora o humor.

No entanto, nem todos conseguem consumir o volume recomendado. Deixar uma garrafinha sempre à mão ou saborizar a água com limão e hortelã, por exemplo, são ótimas estratégias para aumentar a ingestão.

O que posso comer durante uma reeducação alimentar?

Alimentos ricos em proteínas magras, que possuem digestão lenta, podem ser inseridos no cardápio. A lentidão do processo digestivo auxilia no controle da fome e inibe a vontade de comer frequentemente. Portanto, peito de peru, ovo, peito de frango sem pele, grão-de-bico e tofu estão liberados.

Enquanto isso, maçã, banana, ameixa, macarrão e arroz integral, frutas frescas e cereais integrais, ambos ricos em fibras, têm o poder de aumentar o período de saciedade. Ou seja, eles diminuem o desejo de comer e, como resultado, auxiliam na perda de peso.

O cardápio para a reeducação alimentar também precisa de legumes, que podem ser cozidos ou grelhados. Assim como as verduras e hortaliças, indispensáveis no almoço e no jantar. E para beber, nada melhor do que um suco natural ou um copo de água saborizada!

Como montar um cardápio que cabe no seu bolso?

Como você deve ter reparado, o cardápio da reeducação é feito com alimentos simples, baratos e acessíveis. Não é necessário gastar muito para se alimentar corretamente, pois a maioria dos ingredientes saudáveis são relativamente baratos. A seguir, veja sugestões de refeições que cabem no seu bolso.

O que comer pela manhã na reeducação alimentar?

Tradicional na mesa dos brasileiros, o pão francês com manteiga deve ser evitado em meio a reeducação, ele pode ser facilmente substituído por uma tapioca quentinha e crocante. Comer ovo no café da manhã também é uma ótima pedida.

Cereais integrais ajudam na manutenção do intestino, e devem estar na primeira refeição do dia, assim como iogurte natural, que tem a função de regular a flora intestinal. Sem esquecer do abacate, da gelatina, da salada de frutas, do café e do suco verde, alimentos ideais para o desjejum.

O que comer de tarde?

Na parte da tarde, a grande parcela das pessoas não está em casa. Desse modo, o ideal é optar por refeições leves. O almoço combina com salada de tomate, arroz integral, feijão, filé de frango ou peixe grelhado. Para a sobremesa, nozes ou amêndoas.

Já o lanchinho da tarde deve ser rápido e prático, algo que possa ser consumido em qualquer lugar, como cookies integrais, mix de castanhas, chips de batata-doce, porção de ameixa, lanche de peito de peru e até mesmo fatias de queijo minas.

O que comer de noite?

A última refeição precisa ser leve para não influenciar o sono de maneira negativa. Portanto, alimentos de fácil digestão são perfeitos para esse momento do dia.

No cardápio para reeducação alimentar, sopa, caldo ou creme de legumes, crepioca, vegetais assados, peixes e salada de folhas estão liberados. Se a fome bater antes de dormir, um iogurte ou uma gelatina são boas opções.

Como montar um cardápio para reeducação alimentar?

Acima, você viu sugestões e ideias de cardápio para reeducação alimentar. Porém, essa mudança de hábitos deve ter o acompanhamento de um profissional qualificado, como nutricionistas e médicos. Afinal, somente eles poderão criar um menu personalizado para as suas necessidades.

E você encontrará todo o apoio necessário no Programa WW, cientificamente comprovado e perfeito para perder peso, aumentar a qualidade de vida e melhorar a saúde.

Quer criar hábitos saudáveis?

Comece hoje mesmo uma mudança positiva no seu estilo de vida e transforme sua rotina com a gente!