Alimentação

Benefícios do trigo

Saboroso e nutritivo, entenda o que o trigo tem de melhor.

 

O trigo é um dos cereais ​cultivados pelo homem mais antigos.

Ao longo dos séculos, receitas foram sendo aprimoradas e novos ingredientes foram incorporados ao modo de preparo. Com os avanços da tecnologia e da gastronomia, novos produtos à base de trigo - pães, biscoitos, massas, bolos e doces - surgiram e passaram a fazer parte da rotina alimentar do mundo inteiro. 

Alimento muito nutritivo, principalmente em sua forma integral, o trigo é fonte de carboidratosproteínas fibras, além de minerais como fósforo, cobre e manganês. 

 

Tipos de trigo para o consumo

 

Sua forma mais comum de consumo é a refinada, através da farinha de trigo.

Por ser mais pobre em nutrientes, já que a casca é retirada, o recomendado é sempre dar preferência a alimentos que utilizem farinha de trigo integral em sua composição.

O gérmen de trigo é a parte mais rica em vitaminas e minerais, como ácido fólico, vitamina E, zinco, cálcio, fósforo e selênio. Ele pode ser adicionado em preparações doces ou salgadas, em sopas, purês, saladas, iogurtes e vitaminas para complementar seu valor nutricional.

Já o farelo de trigo, conhecido como a fibra do trigo, é um produto obtido através da moagem da casca durante a produção de farinha.

Rico em fibras e proteínas, pode ser utilizado como auxiliar no bom funcionamento do intestino, adicionado a vitaminas, sopas e outras preparações (sem alterar o sabor dos alimentos).

Outras formas de consumir o trigo auxiliam a saúde, como o trigo integral - fonte de lignanas, substâncias que ao serem digeridas pelas bactérias da flora intestinal se convertem em compostos que podem prevenir alguns tipos de câncer - e ​triguilho, o famoso “trigo para kibe”, produto altamente nutritivo e versátil que aumenta a saciedade e pode auxiliar no processo de emagrecimento.

 

 

Papel do trigo na dieta

 

Recentemente, o trigo ganhou atenção e foi alçado a vilão. 

Mais precisamente a proteína do trigo, o glúten, foi apontado como grande responsável pelo aumento de peso. Mas, na verdade, alimentos que possuem trigo em sua composição normalmente são mais calóricos, o que levaria a um aumento de peso caso consumidos em excesso.

Ou seja: o glúten não é o único responsável. 

Algumas pessoas são intolerantes ao glúten e possuem uma condição chamada Doença Celíaca, que causa desconforto abdominal, diarreias, anemia e falhas na absorção de outros nutrientes pelo organismo.

O paciente com Doença Celíaca não pode consumir alimentos que contenham glúten - além do trigo, estão incluidos na lista o centeio, a aveia e a cevada.

Nos casos em que o indivíduo não possui nenhuma restrição ao glúten, alimentos que contêm trigo podem facilmente ser incorporados à alimentação de maneira saborosa e saudável, sem medo! 

 

Proteínas do trigo

 

As proteínas do trigo dividem-se em formadoras de grlúten e não formadoras de glúten. Como assim? As que formam o glúten são as gliadinas e gluteninas. Elas constituem cerca de 80% do total de proteínas. Já as outras são as prolinas e glutaminas, 2 dos 20 aminoácidos essenciais ao corpo humano. 

 

E quanto temos o glúten? Ele é um conjunto de proteínas insolúveis que quando misturados à água criam uma rede protéica ligadas ao amido. Durante o processo de panificação, por exemplo, o glúten retém o CO2, que surge com o processo de fermentação.